Jornal do Commercio
Fim do mistério

Vocalista do Massive Attack pode ser o artista Banksy

Mais uma pista de que Robert Del Naja deve ser o anônimo e celebrado grafiteiro

Publicado em 23/06/2017, às 14h16

Del Naja: se não ele, o líder do grupo que assina as obras de Banksy / Reprodução Wikimedia
Del Naja: se não ele, o líder do grupo que assina as obras de Banksy
Reprodução Wikimedia
Bruno Albertim

Numa escadaria à beira do Rio Tâmisa, aparece a imagem de uma menina, fofinha como as de um antigo papel de cartas. Ela tenta alcançar o balão, provavelmente ganho num parque de diversões, depois que o vento o leva de sua mão. Por entre seu vestido negro, podemos, contudo, enxergar os contornos de seu frágil esqueleto.

A cena acima descrita é mais um dos grafites assinados por Banksy, um artista de rua que vem mexendo com a imaginação e os brios do mercado de arte não apenas de Londres, mas de grandes cidades do mundo, como São Francisco e Melborne. Os donos das grandes galerias dariam um dedo de menor importância para poder comercializar a obra de Banksy. Mas esbarram na mesma obsessão do público: saber quem ele é. Ninguém, até o momento, sabe exatamente quem é o artista.
Nesta sexta, 22, no entanto, a identidade pôde ter vindo à tona. Por um deslize.

Em entrevista ao podcast artista de hip hop Scroobius Pip, o DJ produtor musical inglês DJ Goldie teorizava sobre a contradição do grafite, valorizado como nunca no mercado e ainda estigmatizado socialmente. "Me dê uma bubble letter (tipo de letra, em geral, desprezada pelos artistas contemporâneos), coloque em uma camiseta, escreva 'Banksy', e estamos feitos. Podemos vender (...) Sem ofensa a Robert, o acho um artista brilhante, que virou o mundo da arte de cabeça para baixo", continuou.




Goldie pareceu ter ficado gelado de arrependimento, pausou a voz, logo depois que pronunciou a palavra "Robert". A mídia britânica não demorou a ligar os pontos. Banksy seria o músico Robert Del Naja, integrante da banda Massive Attack. A hipótese nem era nova.

Também conhecido como 3D, Robert Del Naja é amigo de Goldie - trabalharam juntos nos anos 1980.
Ano passado, o jornalista Craig Williams afirmou que Banksy não é uma, mas várias pessoas reunidas num grupo liderado por Robert Del Naja que, claro, despistou. "Banksy é um amigo, foi a alguns dos shows do Massive Attack. É só uma questão de logística e coincidência", disse ele.

DEPOIS DOS SHOWS

O fato é que os murais de Banksey costumam tatuar cidades do mundo por onde o Massive tem se apresentado. Seis grafites foram feitos em São Francisco, nos Estados Unidos, depois de concertos na cidade. Exista individualmente ou não, Banky ainda assinou o prefácio "3D and the Art of Massive Attack", lançado por Del Naja no ano passado.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM