Jornal do Commercio
Notícia
Projeto social

Coletivo Aurora de Estrelas leva arte para pessoas em situação de rua

Intervenções artísticas começam a dar cor à Rua da Aurora, estimulando cidadania

Publicado em 14/08/2019, às 13h29

Manoel Quitério e Sarah Oliveira mediam ações com pessoas em situação de rua que transitam na Aurora / Felipe Jordão
Manoel Quitério e Sarah Oliveira mediam ações com pessoas em situação de rua que transitam na Aurora
Felipe Jordão
Márcio Bastos

A Rua da Aurora é um dos símbolos mais representativos das contradições que marcam o Recife, com suas belezas naturais e arquitetônicas, e, ao mesmo tempo, o abandono do espaço público e das pessoas que, diante das dificuldades sociais que assolam o Brasil, vivem em situação de rua. A partir da percepção das potências do espaço e, principalmente, da vontade de estimular o protagonismo e a dignidade dos socialmente invisibilizados através da arte, o coletivo Aurora de Estrelas, formados por artistas e profissionais de diversas áreas, iniciou segunda-feira um trabalho na vizinhança.

Na marquise e pilastras do espaço localizado próximo à pista de skate da Aurora, rolos de pintura e pincéis eram manuseados por pessoas de diferentes gêneros e idades que atualmente utilizam o espaço como moradia. Os artistas visuais Manoel Quitério e Sarah Oliveira, que integram o coletivo, acompanhavam os traços dos participantes, incentivando-os a expressarem suas subjetividades.

“Há uns cinco anos venho desenvolvendo um trabalho voltado para as questões sociais a partir de inquietações minhas sobre pontos que me incomodavam, como a falta de diálogo com as pessoas em situações vulneráveis e a própria noção sobre de quem é a rua. Diante da especulação imobiliária descontrolada do Recife, temos que nos questionar de quem é verdadeiramente o espaço”, reflete Manoel.



PERTENCIMENTO

Sua experiência com arte urbana que agrega a participação dos moradores vem se aprofundando nos últimos anos, com passagens por áreas como os morros do Recife, o Sertão de Pernambuco e a Dinamarca, onde desenvolveu um trabalho com refugiados.

“Trabalho muito a questão dos símbolos do inconsciente. O que sobra quando tiram tudo da gente? Então, é isso que tentamos trabalhar também com a galera para que expressem o que sentem. Tem sido uma experiência de muito aprendizado para mim, de ressignificação do olhar em relação ao outro”, reforça.

Para o projeto Aurora de Estrelas, que é independente, o coletivo contou com o apoio da Prefeitura do Recife, que doou tintas e alimentação para os participantes. A execução das pinturas seguem até sexta-feira e, no domingo, como culminância das atividades, pretende-se fazer uma festa que integre os participantes da ação e a população do entorno e de outras partes da cidade.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM