Jornal do Commercio
Lançamento

Oficina vira instituto para preservar legado de Francisco Brennand

Mudança possibilitará que sejam promovidas ações de fomento em várias áreas: artística, educacional, filantrópica e ambiental

Publicado em 21/09/2019, às 19h56

Foto: Dayvison Nunes/JC Imagem / Cerimônia de lançamento contou com grande público e muita emoção
Foto: Dayvison Nunes/JC Imagem
Cerimônia de lançamento contou com grande público e muita emoção
Flávia de Gusmão

Eram 16h35 de um sábado luminoso quando, diante de um auditório lotado, teve início a cerimônia de lançamento da nova configuração da Oficina Cerâmica Francisco Brennand, que agora passa a se chamar Instituto Oficina Cerâmica Francisco Brennand, uma entidade sem fins lucrativos que tem como premissa maior preservar a integridade do legado artístico e o conjunto das obras do seu criador.

Na mesa, Marcos Vinicios Vilaça, ex-ministro e presidente do Tribunal de Contas da União e membro da Academia Brasileira de Letras, fez a saudação. Ao seu lado, apenas a figura imponente – cabelos longos e barba branquíssima – de Francisco Brennnand, que há 48 anos, em 1971, deu início ao trabalho de reformar a antiga fábrica de telhas que pertencera ao seu pai. Desde então, a Várzea – bairro ao qual o grande artista pernambucano, e criador do espaço, se referiu como “o umbigo do Brasil – viu surgir um dos maiores talismãs artístico e turístico do Estado de Pernambuco. “Foi um ato de bom senso. Ninguém nos perdoaria se deixássemos desamparado, sem abrigo às ações do tempo, este grandioso conjunto que o ceramista nos legou”, afirmou Vilaça.

Agora como instituto – com mais de três mil obras pessoalmente selecionadas e transferidas pelo próprio F. Brennand para compor o acervo desta entidade cultural – passa a vigorar um modelo para sua preservação e sustentabilidade. A mudança, que teve em Mariana Fortes Brennand, sobrinha-neta de Francisco, sua maior articuladora, possibilitará, também, que sejam promovidas ações de fomento em várias áreas: artística, educacional, filantrópica e ambiental.

Está prevista a criação de um comitê de patrocínio, que reunirá parceiros e apoiadores, em um diálogo permanente sobre os rumos do Instituto, garantindo transparência e estabilidade às suas ações. O primeiro patrocinador oficial é o Grupo Cornélio Brennand (GCB), abraçando as primeiras ações do Instituto, que contará também com a auditoria pró-bono da Price Waterhouse Coopers (PwC), desde o início de sua operação.



O gênio da Várzea

No novo modelo de gestão, está prevista a consolidação de parcerias com áreas transversais como cultura, educação, turismo, tecnologia e inovação. “Serão muito bem-vindas as parcerias público-privadas que possam viabilizar os programas do Instituto, gerando desenvolvimento e impacto positivo nas comunidades locais e regionais. Poderão ainda ser celebradas parcerias com instituições nacionais e internacionais, que transformem o Recife num polo de criação e inovação por meio da cerâmica”, afirma a direção do Instituto.

“Foi um esforço enorme chegar até aqui, mas nada é fácil na vida, nem pentear o cabelo”, brincou Francisco Brennand, lembrando a trajetória da Oficina Cerâmica Francisco Brennand, agora transformada em Instituto.

Francisco Brennnand recordou quando recebeu a primeira pista sobre o acerto da decisão de recuperar a estrutura industrial, então desativada, transformando-a no que é hoje. “Um motorista de táxi chegou na propriedade trazendo quatro turistas. À certa altura, virou-se para eles e disse: ‘Isso parece o Egito”, rememorou entre risos da plateia. “O que pare ele era Egito, para mim era a tradução de mistério. E foi isso que conseguimos: não banir o mistério desse lugar”, sentenciou.

“A minha parte está feita, e foi feita com minha alma de artista, intransferível, agora é com as nova gerações”, concluiu o gênio da Várzea.

 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Reencontros Reencontros
A menina que salvou os livros numa enchente, o garoto que venceu a raiva humana, o médico que superou a pobreza, os albinos de Olinda e o goleiro de uma só perna foram personagens do projeto Reencontros, publicado em todas as plataformas do SJCC
Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM