Jornal do Commercio
Casa Forte

Forneiro imprime qualidade artesanal em tudo o que serve

Do forno ou da parrilla, a nova casa tem ambientação industrial e cuidado acima da média na cozinha

Publicado em 12/07/2018, às 14h13

Forneiro: ambiente chique despojado e forno de alta potência gustativa / Vinicius Lubambo / Divulgação
Forneiro: ambiente chique despojado e forno de alta potência gustativa
Vinicius Lubambo / Divulgação
Bruno Albertim

O prédio e a ambientação são elegantemente inspiradas na arquitetura pós-industrial que virou moda em Nova Iorque ali pelos anos 1970: pé-direito alto, concreto, ferro, estruturas aparentes, móveis de design seco, grafitagem assinada pelo artista olindense Raoni Assis. Um clima urbano chique que apenas reforça o zelo do que ali é servido. Inaugurado no final do ano passado no coração de Casa Forte, confirmando que o bairro vai mesmo assumindo o posto de Meca gastronômica da cidade, o Forneiro Pizza Bar é de um cuidado absolutamente artesanal com sua comida. Cada porção de massa, cada disco de pizza, cada vegetal ou pedaço de carne servidos parecem ter passado por uma precisão cirúrgica no preparo antes de chegar à mesa. Qualidade dos ingredientes e rigor na cocção chamam atenção – e conquistam – na primeira visita.

Por trás do empreendimento, aberto depois de um ano de estudo cuidadoso de mercado, estão veteranos da gastronomia recifense. À frente de marcas consolidadas como Beerdock e Parraxaxá (esse, quase um ponto obrigatoriamente turístico, com sua bem feita cozinha regional com fama de cartão-postal), o Forneiro é o que o nome indica: uma casa cosmopolita em que o forno dá as cartas.

CARDÁPIO

Crocantes, o processo da elaboração das pizzas leva a farinha italiana tipo 00 e fermento natural, que permite uma fermentação prolongada, tornando a massa mais leve e quebradiça. O molho de tomate é vivamente rubro. Todas as folhagens são colhidas da horta orgânica no jardim. Alguns embutidos são feitos na casa, como o precioso pastrami, que passa por um processo de cura de uma semana sobre o peito bovino da raça angus, com cozimento em baixa temperatura e selagem na parrilla. Vale muito à pena prová-lo, tanto na tábua de entrada como no recheio de sanduíche (R$ 30).



As pizzas são destaque. Mas artigos triviais muito bem reinventados fazem a alegria na abertura dos trabalhos. O ovo mollet (R$ 28), gelatinoso como a técnica exige, vem empanado e sob o respaldo de cogumelos, bacon, azeite trufado e torradas. De tradição inglesa, as meatballs (R$ 30) são bolinhos agigantados de carne com molho de tomate, muçarela fresca e pão da casa.
Gratinada ao forno, a berinjela à parmegiana (R$ 26) também faz bonito. Mas crime mesmo é deixar de comer os croquetes de ossobuco (R$ 27), com maionese de cenoura. Como manda a escola espanhola da qual provêm, são cuidadosamente crocantes por fora e quase um creme por dentro. Tão logo rompemos a superfície se desmancham na boca. O carpaccio, temperado com erva-doce fresca, é diferente de todos que já se viu por aqui. Mais adocicado.

Picada na faca, a carne do hambúrguer, suculenta e coesa, faz do sanduba o protagonista de uma refeição mais despretensiosa. Um deles, chamado Top das Galáxias (R$ 28), tem 160 gramas de carne bovina, cogumelos, maionese de limão, muçarela e tomates confitados. O Porco Rei (R$ 26) tem carne suína, picles de maçã verde, queijo muçarela e um pouco de molho barbecue.
O que sai da parrilla coloca a casa no primeiro time das carnes servidas na cidade. O ótimo bife de vazio, de carne tipo Angus (R$ 42), vem sob manteiga de ervas e legumes cuidadosamente grelhados. Pena que as fritas que acompanham cortes como o entrecôte (muito macio) sejam industriais pré-congeladas. A casa ganha em praticidade, mas perde em sabor e textura. É a parrillha também a técnica escolhida para o almoço comercial dos dias úteis, com entrada, prato principal e sobremesa entre R$ 40 e R$ 44. Ali, o bife de vazio com batata rústica é um primor.

Nas horas de maior lazer, vale à pena investir num dos drinques do barmam Junior WM, impressionantemente harmoniosos, como a simples e refrescante Gin Tonica, aromatizado com laranja, gengibre e alecrim. Os não-alcóolicos ganham abrigo no refrigerante artesanal da casa: xarope de maçã verde e uva, limão e água gaseificada. De fazer esquecer as marcas industriais.
Forneiro. Av. 17 de agosto, 807, Casa Forte. Almoço: terça a domingo, 12h às 15h. Jantar: terça, quinta e domingo, 18h às 23h. Sexta e sáb: 18h às 23h. Fone: 3314-0250.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vidas Compartilhadas Vidas Compartilhadas
O JC apresenta o mundo da doação e dos transplantes de órgãos pelas vozes de pessoas que ensinam, mesmo diante das adversidades, a recomeçar a vida quantas vezes for preciso.
JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM