Jornal do Commercio
Consumo

Não gosta de comprar frutas e verduras? O FazFeira adora

Serviço criado por dentista que é também empresária resolve a questão, aceitando pedidos por site ou aplicativos

Publicado em 10/01/2019, às 15h26

Maria Augusta Maranhão farejou oportunidade e aproveitou o nicho / Filipe Jordão/JC Imagem
Maria Augusta Maranhão farejou oportunidade e aproveitou o nicho
Filipe Jordão/JC Imagem
Flávia de Gusmão

Maria Augusta Maranhão, dentista praticante e inquieta por natureza, é outro exemplo de empreendedorismo que se valeu do corre-corre em que vivemos para dar início ao FazFeira. A marca nasceu há pouco mais de um ano e, embora não seja a primeira a fazer compras de hortifrútis para entregar em casa, utilizou uma característica pessoal de sua idealizadora para fazer a diferença: ser muito exigente com o que compra.

Mas a necessidade de Augusta surgiu mesmo foi da observação prática. Ao se ver mãe de duas filhas sentiu na pele a dificuldade de atender a várias demandas ao mesmo tempo. “Queria me alimentar bem para amamentar o bebê e queria que as papinhas que eu dava para a filha mais velha fossem provenientes dos melhores ingredientes, mas cadê tempo?”.
Passou a utilizar um serviço de entrega de feira e resolveu aperfeiçoá-lo. Até chamou seu fornecedor inaugural para a sociedade, mas ele declinou: preferia voar solo. “A ideia era oferecer qualidade impecável e o Instagram seria o canal de contato com este suposto público, que desejava o mesmo que eu”. Hoje com 10.800 seguidores, a FazFeira encontrou o seu nicho.

CLIENTE EXIGENTE

Para além da qualidade, o desejo de atender a desejos específicos de cada cliente fez com que outro benefício viesse atrelado: a variedade de produtos ofertados só faz crescer em tão curto espaço de tempo. Tanto que a FazFeira, que antes mantinha um espaço físico apenas como depósito, mudou de endereço e abriu uma loja de verdade, que funciona diariamente. “Atende as necessidades daquele consumidor que gosta de escolher ele mesmo, pegar, olhar cheirar. Com a vantagem de encontrar produtos já pré-selecionados”, avisa.



No início do negócio, era Maria Augusta quem ia pessoalmente ao Ceasa fazer as compras. Trabalho aliviado com a contratação de Cleidson Marques, agora ela se dedica mais ao corpo a corpo com sua clientela e a administrar as entregas. Os pedidos podem ser feitos pelo Rappi, pelo aplicativo próprio do FazFeira ou pelo site, em qualquer horário.

Faz Feira – Rua Setúbal, 182, Boa Viagem. De segunda a sexta, das 7h às 20h; sábado e domingo das 9h às 16h, Whatsapp: 99925-1200

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM