Jornal do Commercio
Notícia
Gastronomia

Taberna Gondim traz cozinha de Portugal para Olinda

Casa em Olinda traz detalhes que remetem à Terrinha e capricho no patrimônio gastronômico lusitano

Publicado em 12/02/2020, às 21h42

O bacalhau da Taberna Gondim é servido em duas versões principais: em lascas e em posta. / Foto: Divulgação
O bacalhau da Taberna Gondim é servido em duas versões principais: em lascas e em posta.
Foto: Divulgação
Adriana Victor

Nem adianta procurar por placa na porta da casa caiada de branco com detalhes azuis: atente para o endereço, faça reserva pelas redes sociais ou vá até lá na companhia de algum amigo que já conhece o lugar. A Taberna Gondim fica num beco olindense, sem qualquer identificação na fachada - mas vale a busca pelos sabores criados lá dentro. Uma casa portuguesa com cardápio enxuto e a certeza de que os nossos colonizadores mandam muito bem quando o assunto é comida.

>> Solário Apipucos: gastronomia internacional e ambiente eclético

>>  Gastronomia e cultura bombam em festival em Olinda

>> Conheça Dona Geralda, a rainha da gastronomia do Morro da Conceição

No comando das panelas do lugar, que funciona desde setembro do ano passado, está José Luiz Gondim, um empreendedor que viveu em Portugal por 18 anos. Em Lagos, no Algarve, Zelu casou-se, teve três filhos e fez de quase tudo: trabalhou como salva-vidas, teve loja de artigos esportivos e foi pizzaiolo - especialidade que ele também põe em prática na nova casa portuguesa, que oferece, além de bacalhaus e afins, 17 sabores de pizza.

A história da taberna de Olinda começa em Pipa, Litoral do Rio Grande do Norte, onde funcionou por seis anos o restaurante A Portuguesa, uma parceria de Zelu com a ex-mulher, Hilda. Ela, nascida na terra de Camões, comandava a cozinha; ele ia aprendendo e ajudando a tocar o dia-a-dia do local. “Era um lugar conhecido, frequentado por artistas, gente badalada. Chegamos a ter uma filial em Natal”, conta Zelu. Ainda em Pipa, ele instalou uma creperia no meio das falésias que segue por lá, agora com outros donos.

A experiência com crepes foi replicada em Pernambuco - o empresário é irmão de Lauro Gondim, dono da Creperia de Olinda, justamente na casa em frente ao restaurante português, com a fachada virada para a Praça de São Pedro. As pizzas de Zelu também são servidas na creperia. Mas é no português que ele aposta as suas novas fichas - e tem dado conta do jogo.

O bacalhau é servido em duas versões principais: em lascas e em posta, alta como deve ser. São 8 pratos dedicados ao prato patrimônio gastronômico de Portugal, com porções fartas e preços que variam entre R$ 46 e R$ 75. O bacalhau com natas (R$ 52), um dos carros-chefes da casa, vem com a crosta gratinada e o centro revelando a amálgama poderosa entre a cremosidade das natas, o salgado da mistura de peixes e a untuosidade do azeite. Vale!

Entre as especialidades portuguesas também figura o bitoque, prato consumido em almoços rápidos em Lisboa e arredores, composto por filé ao molho de vinho do Porto, batata frita e ovo estrelado (R$ 38).



Entradinhas variadas, incluindo bolinho de bacalhau, frito no ponto, ainda compõem o cardápio. Para fechar, pastéis de nata produzidos ali mesmo, com receita tradicional trazida de Portugal, misturando massa folhada, creme de ovos, limão, açúcar e canela. Eita que é bom!

Zelu levou para a casa olindense, além do que aprendeu na Europa, as suas referências, afetos e objetos familiares. “A espátula que usamos pra fazer o pastel de nata pertenceu à minha mãe, Oscarina”, revela. E conta uma curiosidade: o utensílio, chamado de lambe-lambe em Pernambuco e pão-duro em outros locais do Brasil, é conhecido como Salazar em Portugal - uma referência ao político português responsável por um regime ditatorial que marcou a história do país. “É chamado assim porque Salazar raspava tudo de todos os portugueses”, afirma Zelu.

Para o Carnaval 2020, período em que Olinda ferve, o frevo domina as ladeiras e a fome sempre chega, a Taberna Gondim ainda estuda um modelo de funcionamento que dê conta de atender bem os foliões: “Ainda não definimos o formato, estamos ouvindo os clientes. É o nosso primeiro Carnaval e devemos ter ou um prato único, ou combos. O desafio é mantermos o nosso diferencial. Somos um oásis em Olinda”, sentencia Zelu.

Sobre a falta de identificação na porta, ele justifica: “Queremos descontração, passar a ideia de um lugar que acolhe amigos e famílias. Adoro ver pessoas de uma mesa conversando com as da outra. Por isso, damos tanta importância quando alguém traz um amigo até aqui pela mão. A ideia é que as pessoas se sintam mesmo em casa.” Anote, pois, o endereço abaixo. “Quem bater à nossa porta, faremos questão de abrir. É a nossa delicadeza, um gesto que você faz quando alguém chega à sua casa.”

SERVIÇO

Taberna Gondim
Endereço: Travessa João Alfredo, Carmo - Olinda
Funcionamento: 18h às 23h (quarta a sexta), 12h às 23h (sábados) e 12h às 17h (domingos). 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM