Jornal do Commercio
ação

Nicolas Cage repete fórmula em "O resgate"

Longa estreia nesta sexta (25) nos cinemas do Recife

Publicado em 25/01/2013, às 06h07

Do JC Online

“Doze horas, US$ 10 milhões, uma filha sequestrada.” Com Nicolas Cage correndo de uma explosão ao fundo, o pôster de O resgate (Stolen), que estreia nesta sexta (25) nos cinemas recifenses, dá a síntese do que acontece nos 96 minutos do novo blockbuster de Simon West (diretor de Mercenários 2 e Lara Croft: tomb raider). O lançamento marca o reencontro entre diretor e ator, que trabalharam juntos em Con Air: a rota da fuga (1997).

No filme, oito anos depois de sair da prisão por roubar um banco (o que acontece na bem costurada sequência inicial), Will Montgomery (Cage) – o “maior dos ladrões” – sai arrependido e disposto a se reaproximar da filha, que é sequestrada por seu antigo parceiro de roubos, então dado como morto.



Apesar do bom ritmo que o filme ganha, seu roteiro é enfraquecido pelo fácil didatismo dos diálogos, para eliminar quaisquer dúvidas – e mínimas reflexões – dos espectadores. No mais, o longa respeita a burocracia certeira dos filmes de ação: protagonistas de ferro, tiros, explosões, reviravoltas, desfechos previsíveis.

Leia a matéria completa no Jornal do Commercio desta sexta (25), no Caderno C


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM