Jornal do Commercio
OSCAR

Green Book - O Guia ganha o Oscar de Melhor Filme do Ano

Premiação foi dividida, com destaque também para Roma, Bohemian Rhapsody e Pantera Negra

Publicado em 25/02/2019, às 02h31

Equipe de Green Book - O Guia. / VALERIE MACON/AFP
Equipe de Green Book - O Guia.
VALERIE MACON/AFP
Ernesto Barros

Todos os oito longas-metragens que concorreram ao Oscar de Melhor Filme deste ano ganharam pelo menos uma estatueta. A 91ª edição do Oscar teve uma das premiações mais ecumênicas e com poucas surpresas da história da Academia. A cerimônia de entrega de prêmios, como sempre festiva e com momentos de emoção, terminou na madruga de hoje, com a consagração de Green Book - O Guia, o vencedor do Oscar de Melhor Filme do Ano. Ao todo, o filme dirigido por Peter Farrelly, que conta a história de amizade entre um motorista ítalo-americano bronco e um pianista negro aristocrata, durante uma turnê no racista Sul dos Estados Unidos do início da década de 1960, ganhou três Oscars.

Como a divisão foi forte durante a premiação, é difícil afirmar que a noite teve um grande vencedor. Em número de prêmios, o recordista foi Bohemian Rhapsody, a biografia do lead singer Freddie Mercury, da banda Queen, com quatro estatuetas. A principal delas foi para Rami Malek, que levou para casa um justo Oscar de Melhor Ator. As outras três foram prêmios técnicos que elevaram a qualidade do filme, como os Oscars de Melhor Edição de Som, Mixagem de Som e Edição, essenciais na sequência de reconstituição da performance no estádio de Wembley, em Londres, durante o show Live Aid, em 1985.

O cineasta mexicano Alfonso Cuarón, isoladamente, foi o papa-Oscar da noite e um dos maiores de toda a história do prêmio, pelo menos na variedade de categorias. Em 2014, ele já havia levado as estatuetas de Melhor Diretor e Melhor Montagem por Gravidade. Agora, levou mais três por Roma: Melhor Diretor, Melhor Diretor de Fotografia e Melhor Filme Estrangeiro. Além disso, ele recebeu o Oscar de Melhor Diretor pelas mãos do compatriota Guillermo Del Toro, quase um déjà vu de premiações anteriores do Oscar. No seus discurso, falou em inglês e em espanhol, agradecendo a todos que ajudaram na recriação de parte de sua infância, com foco na empregada doméstica de origem indígena que ajudou a mãe dele a criar os filhos, num momento difícil para a família e para o país, no início da década de 1970.



Assim como Green Book – O Guia e Roma, Pantera Negra também ganhou três Oscars. Fazendo uma análise política da cerimônia, pode-se dizer que a noite teve momentos importantes para comunidade artística negra do cinema americano. Apesar de não ter ficado com o Oscar de Melhor Diretor, Spike Lee foi o mais aplaudido cineasta da cerimônia. Finalmente ganhou seu primeiro Oscar, pelo roteiro adaptado do poderoso e sarcástico Infiltrado na Klan. A alegria dele ao abraçar o ator Samuel L. Jackson foi um dos momentos inesquecíveis da noite.

A apresentação da canção Shallow, que deu à Lady Gaga o Oscar da categoria, deixou a plateia do Kodak Theatre em silêncio total para ouvir o dueto entre a cantora e ator-diretor Bradley Cooper, de Nasce uma Estrela. Talvez a grande surpresa tenha sido a premiação de Olivia Colman, de A Favorita. Mas, como a história da Academia já confirmou mais de uma vez, é difícil um ator ou atriz de origem inglesa perder um Oscar.

A falta de apresentador aparentemente não foi muito sentida, com as celebridades hollywoodianas entrando e saindo de cena com é de praxe. A única extravagância da foi a descida do ator Keegan Michael Key do teto do teatro com um guarda-chuva. O cineasta brasileiro Nelson Pereira, morto no ano passado, foi lembrado na seção In Memorian.

LISTA DOS VENCEDORES DO OSCAR 2019

Melhor atriz coadjuvante:
Regina King - Se a Rua Beale Falasse

Melhor Documentário de Longa-Metragem:
Free Solo

Melhor Maquiagem e Penteados:
Vice

Melhor Figurino: 
Pantera Negra

Melhor Direção de Arte:
Pantera Negra

Melhor Fotografia:
Roma (Alfono Cuarón)

Melhor Edição de Som: 
Bohemian Rhapsody

Melhor Mixagem de Som:
Bohemian Rhapsody

Melhor Filme Estrangeiro:
Roma (México)

Melhor Edição:
Bohemian Rhapsody

Melhor Ator-Coadjuvante:
Mahershala Ali, de Green Book - O Guia

Melhor Animação:
Homem-Aranha no Aranhaverso

Melhor Curta de Animação:
Bao

Melhor Documentário de Curta-Metragem:
Period. End of Sentence

Melhores Efeitos Visuais:
O Primeiro Homem

Melhor Curta-Metragem Live Action:
Skin

Melhor Roteiro Original: 
Green Book - O Guia

Melhor Roteiro Adaptado:
Infiltrado na Klan

Melhor Trilha Sonora:
Pantera Negra

Melhor Canção Original:
Shallow, de Nasce uma Estrela

Melhor Ator:
Rami Malek, de Bohemian Rhapsody

Melhor Atriz:
Olivia Colman, de A Favorita

Melhor Diretor: 
Alfonso Cuarón, de Roma

Melhor Filme: 
Green Book - O Guia




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Reencontros Reencontros
A menina que salvou os livros numa enchente, o garoto que venceu a raiva humana, o médico que superou a pobreza, os albinos de Olinda e o goleiro de uma só perna foram personagens do projeto Reencontros, publicado em todas as plataformas do SJCC
Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM