Jornal do Commercio
Beatles

Paul McCartney relembra John Lennon em protesto contra armas nos EUA

O músico participou de uma das diversas manifestações contra a venda de armas nos EUA no último sábado (24) em Nova York, onde Lennon foi assassinado

Publicado em 25/03/2018, às 16h54

"Um dos meus melhores amigos foi assassinado por violência armada bem aqui perto, então isso é importante pra mim", disse o cantor
EDUARDO MUNOZ ALVAREZ / AFP
Estadão Conteúdo

O cantor Paul McCartney participou de uma das diversas manifestações contra a venda de armas nos Estados Unidos no último sábado, 24, e relembrou seu ex-companheiro de Beatles, John Lennon, para justificar sua presença, em entrevista ao canal de notícias CNN.

"O que você espera que seja conquistado?", pergunta o repórter. Em silêncio, Paul apenas abre seu casaco e mostra a camiseta que está usando com a frase: "Nós podemos acabar com a violência armada". 



"Você acha que isso pode ocorrer a nível legislativo? Nós vimos isso acontecer a nível estadual em lugares como a Flórida e aqui, em Nova York...", perguntou novamente o jornalista. "Sabe, eu sou como todo mundo, eu não sei. Mas isso é o que podemos fazer, então estou aqui para fazer isso. Um dos meus melhores amigos foi assassinado por violência armada bem aqui perto, então isso é importante pra mim", respondeu o cantor, em alusão à morte de John Lennon.

Happy to be marching against gun violence. #marchforourlives #wecanendgunviolence #neveragain #everytown

Uma publicação compartilhada por Paul McCartney (@paulmccartney) em

John Lennon

A manifestação na qual Paul esteve presente ocorreu em Nova York, mesma cidade em que Lennon foi assassinado por Mark Chapman com cinco tiros de uma pistola calibre 38.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM