Jornal do Commercio
Televisão

Luiza Tomé volta à TV Globo após 14 anos fora da emissora

Luiza Tomé reviverá Scarleth Williams Mackenzie Pitiguary em "O Sétimo Guardião", a próxima novela das nove

Publicado em 14/09/2018, às 13h22

Luiza Tomé / Foto: Reprodução/Instagram
Luiza Tomé
Foto: Reprodução/Instagram
Estadão Conteúdo

Luiza Tomé assinou contrato com a TV Globo e está de volta à emissora após 14 anos. Antes, a atriz havia ficado mais de uma década na Record TV onde realizou novelas como "Cidadão Brasileiro", "Dona Xepa", "Milagre de Jesus" e "Escrava Mãe". A última trama na qual que a atriz participou foi "Apocalipse", no ano passado.

Luiza Tomé reviverá Scarleth Williams Mackenzie Pitiguary em "O Sétimo Guardião", a próxima novela das nove da emissora carioca. Ela viveu a mesma personagem em "A Indomada", trama que foi ao ar em 1997, do mesmo autor Aguinaldo Silva.



Redes sociais

No perfil oficial no Instagram, Luiza Tomé gosta de compartilhar com os seguidores uma rotina de exercícios físicos e vida saudável. Aos 54 anos, ela esbanja disposição e beleza e assume que gosta de se cuidar.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM