Jornal do Commercio
Tensão

Marcelo Adnet: 'Hoje o comediante trabalha com medo'

Humorista falou no 'Conversa com Bial' sobre as ameaças que sofreu por satirizar políticos

Publicado em 11/10/2018, às 19h21

Marcelo Adnet explicou processo de criação de sátira política no 'Conversa com Bial'. / Foto: TV Globo/Divulgação
Marcelo Adnet explicou processo de criação de sátira política no 'Conversa com Bial'.
Foto: TV Globo/Divulgação
JC Online

O ator e comediante Marcelo Adnet esteve no Conversa com Bial, da TV Globo, nesta quarta-feira (10) para falar sobre a série Tutoriais dos Candidatos, que ele apresentou no jornal O Globo, e as reações das pessoas às suas imitações dos políticos candidatos à presidência da República.

Alvo de fake news, o humorista afirmou que chegou a ser ameaçado nas redes sociais: "Hoje, o comediante não pode atuar com tranquilidade, trabalha com medo. Porque ele é xingado, ameaçado... É um clima muito ruim para a democracia". E reforçou: "A gente não pode exercer nossa profissão com tranquilidade. Rola um terrorismo diário".

Durante o papo, Marcelo Adnet imitou os candidatos que participaram do primeiro turno da campanha eleitoral de 2018, e revelou que sua empresária o aconselhou a recusar o convite do jornal carioca. "Aceitei porque acho que a gente tem que participar do debate. O humor faz parte disso".

O artista contou que decidiu satirizar os políticos de cara limpa e não se apoiar na caracterização. Por isso, investiu na voz e nos discursos dos presidenciáveis sempre com a preocupação de trabalhar em cima do real - usando uma "régua" jornalística na hora de criar suas versões de figuras públicas tão conhecidas.



"Meu método de criação é investigativo. Fico trancado em uma sala com um computador ouvindo os políticos falando em suas principais sabatinas. Vou anotando no papel toda as frases que acho significativas, os vícios de linguagem e tudo que acho relevante", explicou.

Satisfeito com a repercussão do seu trabalho, Marcelo Adnet afirmou que, de alguma forma, ajudou as pessoas a refletirem um pouco sobre o tema. "Teve muita gente que pensou. Eu mesmo pensei e aprendi muito. Para imitar cada candidato, me informei bastante".

Ainda no programa, a pedido de Pedro Bial, o comediante improvisou um "debate" entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro. Confira:

SEGUNDO TURNO

O humorista, que fez sua primeira imitação política aos sete anos - na campanha eleitoral de 1989 -, avisou que vai dar continuidade ao projeto com novos vídeos dos candidatos que disputarão o segundo turno das eleições de 2018. "Amanhã vou gravar o primeiro lá em casa. Estou pensando o que fazer. Vou gravar um teaser com participações especiais como o presidente Michel Temer", revelou.



OFERTAS

Especiais JC

Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.
Mãe Guerreira Mãe Guerreira
Junto com uma criança, nasce sempre uma mãe, que enfrenta inúmeros desafios para educar, acolher e dar o melhor aos filhos. Por isso, todas elas carregam em si a força e a coragem de verdadeiras guerreiras.
JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM