Jornal do Commercio
Novela

Segundo Sol: Valentim descobre ser filho de Luzia

Personagem da trama das 21h ficará perplexo com as armações da falsa mãe, Karola

Publicado em 12/10/2018, às 16h27

Valentim vai descobrir a verdade / Divulgação
Valentim vai descobrir a verdade
Divulgação
JC Online

 Ainda não se sabe quando, mas já está escrito que nos próximos capítulos de Segundo Sol, novela das 21 ha da Globo, o personagem Valentim, interpretado pelo ator baiano Danilo Mesquita, descobrirá ser filho da mocinha Luzia, interpretada por Giovana Antonelli.

Depois de relutar, ele vai procurar a mãe biológica.

Confira os diálogos escritos para o capítulo:

“Que bom que você veio, Valentim… eu queria tanto lhe ver, falar com você…”, diz Luzia.

“Eu também. Fiquei pensando muito no que eu ia te dizer, mas agora que eu tô aqui, parece que eu esqueci tudo…”.

“Fica tranquilo. Pra mim também não é fácil esse momento. Difícil imaginar alguém que tenha vivido isso que a gente tá vivendo agora. Conhecer seu filho, já homem…”, dirá Luzia.

“Desculpa eu não correr e lhe abraçar, lhe chamar de mãe, dizer um monte de coisas bonitas… eu tô muito triste, é como se eu tivesse perdido minha mãe… isso que Karola fez foi, sei lá, cruel é pouco, mas não posso mentir, não lhe vejo ainda como mãe, não consigo pensar nela como se não pensasse em minha mãe, é tudo muito misturado, ver que minha vida foi uma mentira…”, dirá Valentim.



“Venha cá, sente aqui comigo… não precisa ser como sua mãe, mas como sua amiga… Eu não sei como vai ser daqui pra frente, ninguém sabe o futuro… mas fiquei pensando em quando lhe conheci, aquele dia no meu camarim, ainda como Ariella… eu senti uma conexão sem explicação com você”, responde a mãe.

“Eu também senti, a gente se deu bem de cara né…”, diz o filho

“Foi… Era isso, você veio aqui de dentro, você é uma parte de mim, e eu acredito que de alguma maneira a gente se reconheceu, agora, pra mim, faz todo sentido a ligação que senti com você… um afeto desmedido, um encanto, tanta afinidade… Eu sei que amor é uma coisa que se constrói com o tempo, mesmo o amor de mãe e filho, eu não vou forçar a barra, lhe prometo, vou respeitar seu tempo, o tempo que for, demore quanto demorar… mas eu sei que a gente pode construir essa relação… quero que saiba que eu já amo você, igual amo Ícaro, igual amo Manu, porque esse amor sempre teve dentro de mim, desde que eu engravidei de seu pai, porque esse tipo de amor não morre nunca…”, dirá ela.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM