Jornal do Commercio
ROMANCE

Livro ficcionaliza vida de Matias de Albuquerque

Pesquisa de Maria Cristina Cavalcanti de Albuquerque resultou em obra narrada pelo personagem histórico

Publicado em 16/08/2012, às 06h44

Do JC Online

Em seu leito de morte, um homem revisita seu passado em forma de narrativa. Seria um formato comum à literatura, não fosse essa premissa parte de uma narrativa histórica. Matias (Bagaço), novo romance histórico da psiquiatra, romancista e historiadora pernambucana Maria Cristina Cavalcanti de Albuquerque, ganha noite de autógrafos nesta quinta (16/8), às 19h30, no Museu do Estado de Pernambuco (na Avenida Rui Barbosa, 960, Graças).



Conhecida nacionalmente como criadora de diversas metaficções históricas, como Luz do abismo e Príncipe e corsário, a autora agora mergulha na vida de Matias de Albuquerque, governador da capitania de Pernambuco e general que comandou a resistência à Invasão Holandesa do século 17. Narrada em primeira pessoa pelo próprio personagem, a obra é um acerto de contas do fidalgo com o seu próprio passado, uma forma de ele explicar seus atos e escolhas ao mesmo tempo em que resgata sua paixão pelo Recife e por Pernambuco.

Leia mais no Jornal do Commercio desta quinta (16/8).


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM