Jornal do Commercio
ENTREVISTA

Wander Shirukaya fala sobre o seu romance premiado

"Ascensão e queda" mostra o dilema de uma banda de rock após o suícidio do seu vocalista

Publicado em 27/01/2015, às 05h12

 / Divulgação
Divulgação
Do JC Online

Escritor e músico, o paulista radicado em Itambé (PE) Wander Shirukaya estreou com grande estilo no romance. Ascenção e queda, sua primeira narrativa no gênero, venceu o Prêmio Pernambuco. Na entrevista abaixo, ele explica como criou essa trama.



JORNAL DO COMMERCIO – Ascensão e queda é sobre música, mas há uma tensão presente desde o começo do livro: a impossibilidade de seguir em frente, por mais que as pessoas se esforcem. Como surgiu esse tema, do conflito entre o luto e a atração do sucesso?
WANDER SHIRUKAYA – As pessoas tendem a se sensibilizar com a morte de outras e, no mundo das artes, é comum que artistas ganhem notoriedade por causa disso. É meio como se pensássemos que “artista bom é artista morto”. O livro trata disso, sobre como lidar com a morte de alguém querido frente à espetacularização criada em torno desse tipo de tragédia.
 
JC – Você também é músico. Criar o contexto do rock progressivo, do punk, das turnês e ensaios foi algo prazeroso? Há algo da sua vivência musical na livro?
WANDER – Música me dá muito prazer, faço tudo ouvindo música. Há sim algo da minha vivência de músico no romance, como quando eles tocam para um público que não é o deles e temem ser vaiados ou agredidos. Entretanto, não é algo muito pessoal, acredito que muitos músicos, profissionais ou não, já tiveram experiência parecida.
 
JC – A história se mantém viva pela alternância dos pensamentos e sensações dos integrantes da banda. Como foi compor a voz de cada um deles? Desde o início a ideia era contar com essa polifonia?
WANDER – O livro nasceu dessa ideia: ter um romance em que todos os protagonistas tivessem autonomia para comentar suas impressões sobre o que lhes acontecesse. A composição de cada um deles foi difícil, mas muito prazerosa. Deve ser por isso que comparam o ato de escrever a um parto, me sinto meio mãe de cada um dos protagonistas, padecendo no paraíso (risos).
 
JC – Uma dos pontos interessantes do romance é que ele poderia se passar em qualquer canto do mundo. Foi algo intencional? Falar de músicas, gravadoras e shows pedia uma história menos localizada?
WANDER – Desde meu primeiro livro de contos que gosto de escrever assim, de modo que a história pareça acontecer em Recife, São Paulo, Buenos Aires; às vezes, sequer nomeio os personagens. É uma maneira de fazer com que qualquer pessoa se sinta parte da obra, pois o ponto principal é o conflito, o drama, as emoções; estas são sempre universais.
 
JC – Acha que, com a premiação e a publicação agora, o seu livro deve encontrar mais facilmente os seus leitores?
WANDER – A premiação é um ponto de partida, dá ao escritor uma “vitrine”. A partir de agora o que devo fazer é tentar aproveitar essa vitrine para que novas obras possam chegar às mãos dos meus leitores. Vamos ver no que vai dar.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM