Jornal do Commercio
CRÍTICA

Maurício de Almeida faz narrativa sobre a figura paterna em A Instrução da Noite

O novo romance do Vencedor do Prêmio Sesc mostra uma narrativa curta e densa

Publicado em 08/03/2016, às 07h48

Maurício de Almeida lançou a obra pela editora Rocco / Divulgação
Maurício de Almeida lançou a obra pela editora Rocco
Divulgação
Diogo Guedes

O sábado que centra a narrativa do livro A Instrução da Noite (Rocco), do escritor paulista Maurício de Almeida, é “em tudo diverso devido a alguma coisa fora do lugar, violentamente fora do lugar”. O narrador da história, um jovem, vê o pai voltar para a sua casa depois de anos ausente sem nenhuma explicação. Mais do que uma surpresa, a figura paterna é uma intromissão ousada, uma assombração de ares densos e motivos misteriosos.

Ao longo da curta narrativa, o jovem vai se dirigindo a sua irmã, Teresa, falando sobre a ausência e a presença indesejada e repentina do pai. O tempo, afirma o romance, é hiperbólico no abandono: o pai partiu, teve outro filho e família, e reaparece como se nada tivesse sido alterado. Essa simples questão põe o protagonista em desequilíbrio. Ele, agora o homem da casa, vê a mãe servir café depois do almoço para o antigo companheiro e, principalmente, se incomoda com a falsa naturalidade de todos os gestos – inclusive o de ser chamado de “filho” – daquele pai que se instala “por toda a sala” e não se desculpa por nada.



Vencedor do Prêmio Sesc com o seu primeiro livro, Beijando Dentes, Maurício cria uma narrativa de prosa densa, com um ritmo que transmite a calma e o desespero da sua figura central. Como várias narrativas icônicas recentes, A Instrução da Noite é sobre encontrar a sombra do pai – não para cometer o parricídio, mas talvez para se encontrar com o peso de assumir o posto, viver uma culpa que não é sua. É um livro sobre ficar: não há nada mais assustador do que precisar estar imóvel enquanto todos podem se deslocar.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM