Jornal do Commercio
CARNAVAL

Baile do Simonal anima prévia do Enquanto Isso da Sala da Justiça

Criolo e Monobloco também são destaques na noite do sábado (2), que toma conta do Centro de Convenções, a partir das 22h

Publicado em 01/02/2013, às 20h16

Beatriz Braga

 

O caso do homem que era tão doce que as mulheres simplesmente corriam atrás dele. Negro, charmoso e o rei da pilantragem – no melhor sentido da palavra. Nos anos 1960 e 1970, ninguém resistia a Wilson Simonal (1939-2000). “A pilantragem era o único ritmo que combatia o iê-iê-iê nas boates. Quando tocava, todo mundo dançava”, relembra Chico Anísio no documentário Wilson Simonal – Ninguém sabe o duro que dei. Neste sábado (2), na prévia do bloco Enquanto isso da Sala de Justiça, o homem cuja mãe trocou o talco pelo açúcar ressurge em versão renovada: o Baile do Simonal – ao qual também é bem difícil resistir. Formado por seus filhos, Max e Wilson Simoninha, a banda é uma grande homenagem. Criolo e Monobloco são os outros destaques da noite, que começa às 22h, no Centro de Convenções. 

“O projeto existe desde 2009, que foi um ano muito simbólico, de resgate, pois teve o lançamento do documentário, que foi um sucesso, e o livro Nem vem que não tem – A vida e o veneno de Wilson Simonal ganhou o Prêmio Jabuti. A imagem dele voltou com a muita força. É uma experiência muito legal, criar uma ligação de maneira geral a um artista que ficou esquecido por tanto tempo”, conta Simoninha, que traz o Baile pela primeira vez a Pernambuco. 

Ao falar em “esquecimento”, o filho do cantor remonta a outro trinômio pelo qual Simonal foi carimbado: negro, famoso demais e não engajado politicamente. Em plenos anos de chumbo, o cantor foi enredado numa história, hoje tida como boato, que o transformou no parceiro do Dops, órgão da ditadura. Acusado de ser dedo-duro, um mal entendido lhe custou a vida – no melhor sentido da palavra. O boicote foi geral. O homem, aquele que fazia todos cantarem, caiu no ostracismo e nunca mais cantou.

“Ele dizia para mim ‘Eu não existo na história da música brasileira’, conta, também no documentário, a sua segunda mulher Sandra Cerqueira. É dela a lembrança de que Simonal assistia aos shows de Max e Simoninha escondido, para não causar problemas aos filhos.



“Ele incentivava mas era ao mesmo tempo muito zeloso, sempre teve muito cuidado com esse tipo de coisa. Eu acho que ele fez o que poderia fazer”, lembra Simoninha.

Simonal, o carioca que sofria pela cruz que ganhara na ditadura, morria de orgulhos da dupla de artistas que criara. Depois, foram os dois que resgataram o passado pelo qual o pai deve entrar para a história: alegre, mestre da bossa-nova, da reinvenção de ritmos e que sabia levar uma plateia como ninguém. 

“As pessoas gargarejavam antes ir ao show dele. Faziam vocalize”, diz Chico Anísio, sobre os conhecidos momentos do show do cantor em que milhares de pessoas se rendiam a um músico “entertainer”, que trouxe ao Brasil uma das primeiras versões do pop verde-amarelo. 

 

 

Serviços

Enquanto Isso na Sala da Justiça, neste sábado (2), às 22h, no Centro de Convenções (Av. Professor Andrade Bezerra, s/n, Salgadinho). Ingressos: R$ 80 e R$ 40 (meia)




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM