Jornal do Commercio
luto

Morre o sanfoneiro Arlindo dos Oito Baixos

O músico era diabético e faleceu no Imip, onde fazia sessões de hemodiálise

Publicado em 23/10/2013, às 14h11

 / Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Do JC Online

Atualizado às 18h14

O sanfoneiro Arlindo dos Oito Baixos, 72 anos, faleceu no início da tarde desta quarta-feira (23), no Instituto de Medicina Integral de Prof. Fernando Figueira (Imip). Um dos detentores do título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, o músico tinha diabetes e já havia amputado as duas pernas em decorrência de problemas circulatório. Seu coração funcionava com apenas 30% da capacidade e fazia sessões periódicas de hemodiálise.

Segundo a direção do Imip, às 12h30 desta quarta, Arlindo iniciava uma sessão de hemodiálise, quando veio a óbito. Ele realizava três sessões por semana. O músico era acompanhado pelo IMIP há cerca de cinco anos, quando deu início ao tratamento renal. "Diabético, ele já havia apresentado outras complicações, também decorrentes da doença, como problemas da visão e cardiovasculares", dizia o comunicado oficial do Instituto.

De acordo com o produtor cultural Anselmo Alves, mesmo muito debilitado, Arlindo dos Oito Baixos ainda empunhava sua sanfona de oito baixos. Anselmo é autor do documentário  Arlindo dos 8 Baixos: o mestre do Beberibe. Para realizá-lo, ele chegou a gravar 120 horas de gravação com Arlindo, que antes de se dedicar à música profissionalmente foi barbeiro e vendedor de feira. Segundo Anselmo, foi graças a Luiz Gonzaga que Arlindo trocou a sanfona de 120 baixos pelos oito baixos que o consagrou.





Nascido em Sirinhaém, na Mata Sul de Pernambuco, Arlindo toca desde os dez anos, a maioria dele no oito baixos. Aliás, Arlindo é dos poucos sanfoneiros que podem se orgulhar de ter tocado com o Rei do Baião. Mais do que isso, ter acompanhado Gonzagão por quase 20 anos. Ao mesmo tempo, ele construía uma carreira solo que se consolidou e ficou ainda mais conhecida quando abriu o Forró do Arlindo, hoje Espaço Cultural Arlindo dos Oito Baixos, em Dois Unidos. O que começou como uma brincadeira de fundo de quintal da casa do sanfoneiro tornou-se numa referência de forró para todo o Nordeste.

No DVD, que registra um show na Feneart, no Centro de Convenções, há três anos, Arlindo não se limita a rever a carreira. Faz uma retrospectiva do próprio forró sanfonado. Incursiona pelos mais diversos ritmos empregados no forró instrumental: xaxado (Xaxadinho das Alagoas), arrasta-pé (Isto aqui tá bom demais), baião (Sol com a mão), frevos (Vassourinha) e chorinho (Saxofone porque choras).

Confira o especial do Jornal do Commercio, Pernambuco Vivo, onde Arlindo dos 8 Baixos era um dos personagens.

Abaixo, internautas comentam a morte do sanfoneiro:


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM