Jornal do Commercio
governo

Lenine diz que se sentiu traído pela esquerda

O cantor criticou a ideologia por não ter feito diferente após assumir o poder no Brasil

Publicado em 18/01/2017, às 11h48

Hoje, Lenine diz não acreditar mais na distinção entre esquerda e direita / Foto: Divulgação/Jairo Goldflus
Hoje, Lenine diz não acreditar mais na distinção entre esquerda e direita
Foto: Divulgação/Jairo Goldflus
JC Online
Com informações da Jovem Pan

O cantor Lenine afirmou, em entrevista à Rádio Jovem Pan, que se sentiu 'traído' pela esquerda após o projeto político não ter feito diferente após assumir o poder. "Com a direita eu não me senti traído, eu sei qual era a regra do jogo. Na hora em que a esquerda entra no poder sob a égide de 'vamos mudar' e faz a mesma coisa, entra nessa equação um sentimento de traição imperdoável. Para mim, é imperdoável. A possibilidade histórica que se teve para realmente pender a balança para um lado mais humanista, isso acabou", relatou. 

Lenine ainda destacou que não enxerga legitimidade no governo Temer, mas também não reconhece a gestão anterior, petista. "Não reconheço esse governo que está aí, mas também não reconheço o que estava. A coisa é muito mais generalizada.  Eu tive a oportunidade de ir tanto no senado quanto no congresso, é deprimente o nível daquilo ali".

Eu não acredito mais em esquerda e direita, diz Lenine

Hoje, Lenine diz não acreditar mais na distinção entre as duas ideologias.  "Eu não acredito mais em esquerda e direita, eu acredito no homem, e toda vez quando tem uma sigla por trás eu desconfio deste homem", afirmou.

Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Elaine Guedes,19/01/2017

Concordo. Já existem economistas e sociólogos abordando com mais profundidade este tema. E eu sempre me disse pensando exatamente desta forma. O homem precisa mudar. Adoradores do poder são de esquerda, direita, centro, lado, canto, o diabo a quatro.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM