Jornal do Commercio
Programação

Final de semana conta com Tribalistas, VillaMix, Rouge e outros shows no Recife

O fim de semana de shows no Recife conta com esperados shows, como Tribalistas e Rouge, além de festivais sertanejos de grande porte

Publicado em 10/08/2018, às 09h48

Tribalistas é o principal show do final de semana / Foto: Daniel Mattar/Divulgação
Tribalistas é o principal show do final de semana
Foto: Daniel Mattar/Divulgação
JC Online

Após uma espera de 15 anos, o "grupo-que-não-é-grupo", mas, desde o surgimento repentino, power-trio de primeira grandeza do pop brasuca, Os Tribalistas chegam à cidade com sua primeira turnê oficial. Com uma banda poderosa – Pedro Baby e Pretinho da Serrinha, entre eles –, Marisa Monte, Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes sobem ao palco do Pavilhão do Centro de Convenções, hoje, em Olinda.

Antes de chegar ao Recife, Marisa, por telefone, explicou porque tanto tempo entre o primeiro disco e este segundo, que motiva a breve turnê em menos de dez capitais brasileiras. "Quando saiu o primeiro disco, tinha acabado de ter bebê. Não havia a menor condição de pegar a estrada", diz ela. "Depois, as agendas individuais de cada um foram inviabilizando este segundo encontro", completa Brown.

Na bagagem, Os Tribalistas trazem o primeiro e o segundo discos, o último, lançado também de surpresa e "despretensiosamente", com anúncio súbito em redes sociais, depois que o trio, de férias na Bahia com as respectivas famílias, começou a produzir e compor um corpo considerável de canções. No set-list, hits debutantes como Já sei Namorar e Velha Infância, também os novos Diáspora, Um Só e Trabalivre. Temas da carreira solo de Marisa Monte também estão no repertório do show, que conta com uma elogiada direção de arte, com uma profusão de imagens e vídeos no cenário. “O público não quer mais 'garagem' no palco, espera uma história muito bem contada com a música”, comenta Brown.

Depois de Salvador e Rio de Janeiro, Recife é a terceira cidade brasileira a receber o show, que tem se apresentado em grandes arenas, com capacidade de 10 a 30 mil pessoas. “É um show realmente pensado para grandes públicos”, diz Marisa, de performance dualmente pop e camerística, mais afeita à excelência acústica de grandes teatros.

Confessadamente atentos às (nada sutis) transformações tecnológicas dos últimos anos, o trio surpreendeu público e crítica duas semanas antes do lançamento, em agosto do ano passado, com o lançamento de quatro faixas inéditas do álbum. Tiveram, então, a melhor performance na categoria MPB no Spotify, desde que a plataforma foi lançada no Brasil.

l Tribalistas – Pavilhão do Centro de Convenções de Pernambuco, 21h (abertura dos portões às 17h). Ingressos: R$ 150, pista; R$ 210, frontsage; ambos com meia entrada, à venda pelo site Eventim.

Rouge 15 anos

Desde janeiro, o show especial do retorno da girl band brasileira foi renovado para a estrada e a Turnê Rouge 15 Anos passou a rodar o País. “Todas as coreografias foram reformuladas pelo nosso coreógrafo Rômulo Morada junto a um lindo balé. Nos preocupamos com os arranjos, mixagens e a montagem do show para trazer uma leitura atual às nossas músicas”, conta Li.

Recife foi escolhida para fechar esse ciclo comemorativo e, já em setembro, elas estreiam novo show focando nas canções inéditas desta nova fase do Rouge. “Entramos 2018 com muitos projetos e novidades. Lançamos a música Bailando para abrir os caminhos e estamos trabalhando em outros lançamentos, mas nada que possa ser adiantado ainda. Nos acompanhem”, entrega Karin.

Esse clima nostálgico é especial para Luciana, que saiu do grupo ainda em 2004, e hoje se sente, em suas palavras, "mais Rouge do que nunca". "Tem sido maravilhoso voltar para a estrada com elas! A receptividade das pessoas tem sido linda! Seja no aeroporto, no hotel, nos shows sempre lotados. Tem muito carinho e amor envolvido. Sinto muita gratidão por estar de volta e isso tem sido uma cura na minha vida. Estou muito feliz", confessa.

Para o show – regado a hits como Ragatanga, Não Dá Pra Resistir e Um Anjo Veio Me Falar – as meninas prometem uma noite mágica. “Sempre é muito bom estar em uma nova cidade, conhecer e sentir o calor das pessoas, nós adoramos”, conclui Fantine.

l Show Rouge 15 Anos + DJs – Amanhã, a partir das 22h, no Clube Português (Av. Rosa e Silva, 172, Graças). Ingressos: de R$ 60 a 170, à venda no Haus Bar, Redley, Avesso e site Sympla. Informações: 3231-5400

VillaMix

O VillaMix Festival, recém-indicado ao Prêmio Jovem Brasileiro na categoria “Melhor Rolê”, chega novamente ao Recife, amanhã, às 16h, com o maior palco do mundo, registrado pelo Guinness Book. 

Com 69,37 metros de altura – o equivalente a um edifício de 23 andares –, a estrutura, montada na área externa do Classic Hall, recebe os shows de Jorge & Mateus, Luan Santana, Kevinho, Alok, Jonas Esticado, Xand Avião, Matheus & Kauan e Cleber & Cauan.

O evento, que teve sua primeira edição realizada em 2011 no estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO), foi consagrado como um dos maiores festivais sertanejos do Brasil. Com o tema “Música é Mix”, a nova edição promete surpresas para o público pernambucano.



Uma das duplas mais respeitadas do sertanejo universitário, Jorge & Mateus mostra na ocasião um mix dos 13 anos de carreira. Apresentando a turnê 1977, Luan também se destaca na programação, com clássicos e novidades no repertório. Donos do hit O Nosso Santo Bateu, Matheus & Kauan completam o line-up sertanejo, junto à dupla Cleber & Cauan, que encerram o agito.

Apostando no ecletismo, o festival traz também sucessos do funk e forró. O fenômeno MC Kevinho promete colocar todo mundo pra dançar, assim como Jonas Esticado e Aviões, sob o comando de Xand. Já a música eletrônica fica sob a responsabilidade de Alok, considerado um dos melhores DJs do País.

l VillaMix Festival – Amanhã, às 16h, na área externa do Classic Hall, em Olinda. Os ingressos variam entre R$ 40 (arena meia) e R$ 280 (backstage golden mix) e estão à venda no site NE10 Ingressos.

Stefano Bollani

A música instrumental italiana, com requintes brasileiros, estará em evidência no Teatro RioMar no domingo, às 19h. Isso porque o pianista italiano Stefano Bollani vem lançar seu disco Que Bom (2018), primeiro pelo selo Alobar, e que conta com a participação de músicos brasileiros de peso, como Caetano Veloso (Michelangelo Antonioni) e João Bosco (Nação). O disco, que foi gravado no Rio de Janeiro, contando ainda com a presença de Jaques Morelenbaum e Hamilton de Holanda.

"Eu ouvi pela primeira vez música brasileira quando tinha 15 anos. E quando eu fui pela primeira vez para o Brasil, há 10 anos, eu descobri todas as músicas, o choro, o samba”, afirma Stefano. Suas parcerias se deram, principalmente, por admiração: com Hamilton, ele já havia tocado pela primeira vez na Itália, antes da gravação do CD. “Esse cara é um gênio total, poderia tocar harmônica, acordeom, poderia só falar e seria um gênio”, afirma sobre o bandolinista e compositor brasileiro.

No show de domingo Bollani fará parceria com o pianista pernambucano Amaro Freitas, tocando Footprints (Wayne Shorter), Nanã (Moacir Santos) e Certe Giornate al Mare (de Bollani). “Pra mim está sendo uma honra, eu cresci ouvindo Stefano. Acho que o conheci com os meus 17 anos, por aí. Estou muito feliz”, afirma Amaro.

Stefano Bollani apresenta Que Bom (2018). Domingo, às 19h, no Teatro RioMar (Av. República do Líbano, 251 - Pina). Ingressos: a partir de R$ 80, na bilheteria ou site do Teatro.

Agnaldo Timóteo em Obrigado, Cauby!

Ao iniciar sua carreira em programas de calouros nas rádios, Agnaldo Timóteo ficou conhecido como o “Cauby mineiro”. Os anos se passaram e Timóteo conquistou fama e carreira próprias, mas, ainda assim, homenageia Cauby Peixoto com o show Obrigado, Cauby!, hoje e amanhã, no Manhattan Café Theatro.

O repertório conta com diversos sucessos da carreira do ícone brasileiro, além de passear por seu próprio repertório e pelo de nomes como Dalva de Oliveira, Nelson Gonçalves e Altemar Dutra. Em sua carreira, Agnaldo já conta com mais de 50 discos.

"É sempre um prazer prestar homenagem aos meus colegas que já se foram, mas que continuam fazendo muito sucesso”, afirma o cantor sobre a apresentação. A abertura fica com os Garçons Cantores.

l Agnaldo Timóteo – Hoje e amanhã, às 21h, no Manhattan Café Theatro. Rua Francisco da Cunha, 881, Boa Viagem. Ingressos por R$ 100. Fone: 3325-3372.

Nani no Mepe

A gaúcha Nani é atração do Ouvindo e Fazendo Música, iniciativa do Santander no Museu do Estado de Pernambuco. Nani trabalha em cima do choro e do samba, participando de várias gravações e shows destes gêneros. No Mepe, promete mostrar músicas do primeiro disco solo, Valentia, onde faz uma ponte entre a tradição e o contemporâneo. Av. Rui Barbosa, 960, Graças. Ingressos: R$ 6 e R$ 3.

Clube das Pás

Neste domingo (12), o Clube das Pás promove uma festa dedicada aos pais que não dispensam um repertório romântico para comemorar o seu dia. Na ocasião, sobem ao palco as bandas Como Antigamente e Raízes do Brega. A Orquestra das Pás abre a festa, a partir das 16h. Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada) e estarão disponíveis na bilheteria do local. O Clube fica na Rua Odorico Mendes, 263, Campo Grande. Mais informações pelo fone 3242-7522.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM