Jornal do Commercio
FESTA

Jojo Todynho completa 22 anos e pede alimentos para comunidade

A funkeira quer ajudar a comunidade Vidigal, que atingida pelas fortes chuvas na semana passada

Publicado em 12/02/2019, às 09h08

"Vamos que vamos, obrigada por tudo! Eu amo vocês, obrigada", agradeceu a funkeira
Foto: Reprodução/Instagram @jojotodynho
Estadão Conteúdo

Jojo Todynho completou 22 anos de idade nesta segunda-feira (11) e organizou um grande baile para comemorar. A decoração da festa, com balões pretos e dourados, recebeu símbolos de dinheiro espalhados por todos os lados.

"Vamos que vamos, obrigada por tudo! Eu amo vocês, obrigada", agradeceu a funkeira que, além de comemorar com o baile, pediu aos convidados alimentos não perecíveis para doar para os moradores da comunidade Vidigal, no Rio de Janeiro.



Chuvas

O local foi atingido pelas fortes chuvas na semana passada e muitas famílias perderam suas casas e todos os pertences. Antes da festa, Jojo Todynho também celebrou o aniversário ao lado de familiares e com um bolo simples de chocolate em casa. Os momentos foram compartilhados no perfil oficial da funkeira no Instagram.

Visualizar esta foto no Instagram.

?

Uma publicação compartilhada por JoJo (@jojotodynho) em





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM