Jornal do Commercio
Reviravolta

Das trevas à luz: Zé do Caixão teria se convertido à Igreja Adventista

Pastor postou foto ao lado de José Mojica, o Zé do Caixão, e diz que diretor se batizou

Publicado em 30/01/2017, às 15h48

José Mojica e a mulher, Edineide, ladeado por pastores da Igreja Adventista / Facebook/Reprodução
José Mojica e a mulher, Edineide, ladeado por pastores da Igreja Adventista
Facebook/Reprodução
JC Online

José Mojica Maris, o Zé do Caixão, maior ícone do terror brasileiro, pode ter se tornado um homem religioso. Ao menos é o que indica um post no Facebook, feito nesta segunda-feira (30), por um pastor da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que publicou foto do diretor e sua esposa em um culto da central paulista.

"Neste domingo o Zé do Caixão, juntamente com a esposa tomou a decisão pelo batismo na IASD Central Paulistana, no apelo do Pr. Luís Gonçalves. Louvado seja Deus!", publicou o pastor Erzon Aduviri, da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central Paulistana.

Em uma das imagens, José Mojica Marins aparece com roupa social, unhas mais curtas do que quando vivia o personagem Zé do Caixão, ao lado da sua esposa, Edineide Silva, e do pastor Luís Gonçalves. Na outra, é visto com as mãos para o alto, durante o culto.



A equipe do JC tentou entrar em contato com a assessoria de Mojica para confirmar a informação, mas não obteve retorno. 

Em seu Facebook, Liz Marins (conhecida como Liz Vamp), filha do cineasta, disse que tudo não passava de um boato iniciado pelo pastor. "Meu pai não se converteu a nenhuma igreja. Meu pai não se “batizou” nesta e em nenhuma igreja, com exceção da católica, quando ainda era um bebê e foi batizado, não por seu desejo, mas pelo desejo dos meus avós, que eram católicos. Meu pai continua sendo católico, embora não praticante", escreveu junto a foto de uma cena do seu novo curta, Sinistro Legado, que tem participação do personagem Zé do Caixão. "Ele esteve em uma Igreja Adventista? Sim! A sua atual esposa é evangélica e ele a acompanhou em um culto".

ZÉ DO CAIXÃO

Aos 80 anos, José Mojica Marins é um dos artistas mais conhecidos do país, graças ao personagem Zé do Caixão. Ator, diretor e roteirista, o paulista iniciou sua carreira nos anos 1950, mas foi apenas no dia 11 de outubro de 1963 que deu origem a Zé do Caixão, sádico agente funerário com ideias niilistas. Desde então, estrelou dezenas de filmes e programas para a televisão, como À Meia-Noite Levarei Sua Alma, Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver e O Estranho Mundo de Zé do Caixão.

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM
'; status++; } } else { status = 0; document.getElementById("aovivo").style.display = "none"; } setTimeout(function() { aovivo(); }, 180000); })();