Jornal do Commercio
Empoderamento

Cantoras e poetas pernambucanas se unem no show 'A Dita Curva'

Entre elas estão Flaira Ferro, Aninha Martins, Isaar e Sofia Freire

Publicado em 13/01/2018, às 18h10

Cantoras buscam uma outra forma de produção, com olhar diferenciado / Flora Negri/Divulgação
Cantoras buscam uma outra forma de produção, com olhar diferenciado
Flora Negri/Divulgação
JC Online

A produção cultural de Pernambuco é pulsante e ecoa nacionalmente. Ainda assim, quando se pensa nos representantes da música local, quase sempre vêm à cabeça nomes masculinos. Isso não deixa de ser reflexo de uma cultura que perpetua a invisibilidade da arte feita por mulheres. No entanto, a cena contemporânea das artistas do Estado não quer – e nem vai – ser ignorada. Reflexo disso é o show A Dita Curva, que reúne um expressivo número de criadoras, neste sábado (13), às 20h, no Teatro Luiz Mendonça.

Nascido de um convite feito a Flaira Ferro para criar um projeto para o 24º Janeiro de Grandes Espetáculos, o show reúne dez artistas, entre cantoras e poetas, em um movimento de sororidade e reconhecimento de uma cena cada vez mais fortalecida. Além de Flaira, estão presentes Aninha Martins, Aishá Lourenço, Isaar, Isadora Melo, Sofia Freire, Luna Vitrolira, Laís de Assis, Paula Bujes e Ylana Queiroga.

PULSAR

“Existe um pulsar na cidade, uma inspiração, que acho que tá pegando todo mundo que cria, faz arte. Vejo muitas pessoas fazendo coisas incríveis e inovadoras, como há muito tempo não via. E aí tem uma cena linda de artistas daqui fazendo música, dançando, fazendo poesia e se admirando. O show é um experimento de um olhar feminino, diferente do que estamos acostumadas”, afirmou Isadora Melo em entrevista à TV JC, quinta-feira (11).

A apresentação mistura música e poesia e dá espaço igualitário ao trabalho de todas as artistas envolvidas, costurados de forma fluida, sem pausas, através de poesias e música instrumental ao som de violino, percussão, violão, viola e teclado. Todas as obras são autorais e haverá momentos solo, em grupo, duos e quarteto.



“Flaira viu que todas nós nos atravessamos de alguma forma. Muita gente ainda pergunta: cadê as mulheres? A gente sempre esteve aqui”, afirmou Luna Vitrolira.

Para Isadora Melo, há alguns elementos que são compartilhados pelos trabalhos das artistas, como a ancestralidade do sagrado feminino, de tentativa de autoconhecimento e resistência ante um ambiente machista e misógino.

“Quando se fala de mulher, da energia do feminino, se fala de criação. Quando se junta dez mulheres com seu poder criativo pulsando, se dando a mão e se respeitando, é um processo terapêutico”, reforçou Ylana Queiroga.


Serviços

Show A Dita Curva – sábado (13), às 20h, no Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu, Boa Viagem). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia-entrada). Informações: 3355-9821

Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM