Jornal do Commercio
Arte

Aslan Cabral leva suas 'Intervenções Tropicais' para o Cá-Já

Artista visual apresenta obras em pintura, fotografia e instalações

Publicado em 12/02/2019, às 17h55

Intervenção de Aslan nos Lençóis Maranhenses / Divulgação
Intervenção de Aslan nos Lençóis Maranhenses
Divulgação
JC Online

Há cerca de quatro anos, Aslan Cabral tem mobilizado artistas em um projeto que intitulou de Museu do Tubarão. Espécie de levante cultural, a iniciativa tem promovido ações em espaços públicos, especialmente na praia de Boa Viagem. Agora, o artista visual apresenta algumas de suas criações em um espaço fechado, o Cá-Já Restaurante, onde monta, a partir de 13 de fevereiro, a mostra Intervenções Litorâneas.

Em suas interferências à beira-mar, Aslan costuma criar imagens que dialogam com o espaço. Seus trabalhos são híbridos e transitam por diferentes linguagens artísticas.

Uma de suas obras mais conhecidas é o que ele chama de “cataventos”. São tecidos que, abertos, inflam-se com o vento, criando efeito lúdico na paisagem. Para Aslan, essa é uma forma de ativar a arte nos locais por onde passa, sem que para isso precise deixar qualquer tipo de resquício físico.

“É primeira vez em que alcancei um experimento, uma ativação de arte, simples, mas muito potente, que eu posso levar para onde estiver. Isso me ajuda também a ritualizar minha passagem por esses lugares. Por isso, quando fui visitar os Lençóis

Maranhenses, especificamente Atins, levei o que chamo de cataventos para as dunas, durante expedições onde saíamos bem cedinho antes do sol nascer para fazer fotos”, explicou o artista.



Na exposição no Cá-Já, alguns desses cataventos estarão dispostos no quintal do restaurante. Lá, ele também apresentará fotografias de registros dessas intervenções.

Essa ideia está em consonância com a proposta do Museu do Tubarão, que, ao contrário do que o nome pode sugerir, não é um espaço físico, e sim um agregador de atividades, como shows, ações para a infância, cirandas e setlists de DJs.

A mostra contará ainda com obras de pintura, além de uma instalação inédita que Aslan preparou recentemente e que ficará exposta no local para além da exposição, que segue até março.

Além do Museu do Tubarão, Aslan Cabral também coordena o ateliê coletivo Pangeia, localizado no Bairro do Recife. O artista já participou da Bienal do Mercosul, paralela da Bienal São Paulo, da mostra de performances VERBO e do Documenta, em Athenas (2017).


Serviços

Intervenções Litorâneas, de Aslan Cabral – abertura dia 13 de fevereiro, a partir das 19h, no Cá-Já Restaurante (Rua Carneiro Vilela, 648, Aflitos). Horários: de terça a sábado, das 19h às 23h; quinta a domingo, das 12h às 15h e das 19h às 23h. Gratuito. Informações: 3126-0648

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM