Jornal do Commercio
Recursos públicos

Bolsonaro compartilha notícia de Lei Rouanet

Segundo explicou Bolsonaro, a partir de agora os recursos serão destinados para artistas não famosos

Publicado em 11/02/2019, às 10h37

Um anúncio oficial com todas as mudanças acontecerá nas próximas semanas, quando Bolsonaro já tiver deixado o hospital / Foto: Divulgação
Um anúncio oficial com todas as mudanças acontecerá nas próximas semanas, quando Bolsonaro já tiver deixado o hospital
Foto: Divulgação
Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro reforçou na manhã deste domingo (11), em suas redes sociais, os novos caminhos que a Lei Rouanet deve tomar. Ainda sem anúncios oficiais, ele usou sua página do Facebook para compartilhar o vídeo de uma reportagem feita pelo SBT. Antes do vídeo, seus comentários aparecem reforçando o conteúdo da matéria:

"Possibilidades de Mudanças na Lei Rouanet:

- Redução elevada do valor do teto para um único projeto, Caixa, BB, Petrobras e BNDES vão patrocinar projetos com artistas desconhecidos - e não famosos - escolha em coordenação com o Ministério da Cidadania.

- Mais detalhes no vídeo:"

Um anúncio oficial das mudanças está sendo esperado para as próximas semanas. Nem o ministro da Cidadania (que passou a abrigar o antigo MinC), Osmar Terra, nem o secretário de Cultura de Brasília, o jornalista gaúcho Henrique Medeiros Pires, quiseram se pronunciar sobre o assunto.



A matéria compartilhada por Bolsonaro reforça o que já foi ventilado na última semana. O valor do teto que uma produtora pode arrecadar por projeto cai de R$ 60 milhões para R$ 10 milhões. Os ingressos gratuitos, que eram de 10%, passam a ser algo entre 20% e 40%.

O presidente quer mexer também nos patrocínios das empresas em que ele pode arbitrar. Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e BNDES devem deixar de colocar dinheiro em projetos do eixo Rio-São Paulo e passar a investir em regiões menos privilegiadas por patrocinadores, sobretudo Norte e Nordeste. Além de colocar mais ingressos gratuitos, os produtores terão também de prever oficinas e aulas para comunidades carentes.

Um acirrado debate deve começar na classe artística. Há ainda um ambiente um tanto bélico percebido nas entrelinhas dos dois lados. Bolsonaro foca suas decisões sobretudo na questão do patrocínio aos famosos, se posicionando com cada vez mais convicção sobre o fim do apoio a projetos de artistas famosos (muitos se posicionaram contra ele nas eleições). Do outro lado, ainda há mais silêncio. Nomes já procurados pela reportagem preferem se pronunciar depois do anúncio. Semana passada foram noticiadas mudanças de patrocínio cultural feito pela Petrobras, que deve fechar as torneiras para as iniciativas culturais.


Palavras-chave


Comentários

Por Não esquecemos do Queiroz!,11/02/2019

Sim ...................... e o "laranja" de seu filho (o Queiroz) vai depor e "explicar" o R$ 1,2 milhão quando? E agora, também, quando o partido do Bolso (PSL) vai explicar o envio de R$ 400 mil quatro dias antes da eleição para uma candidata a deputada federal que recebeu 274 votos (outra "laranja"). Para quem prometeu "mudanças" e moralidade na política, em um mês já apareceu muita coisa!

Por mario lucio pereira,11/02/2019

certíssimo! apoio deve ser dado aos artistas excluídos da grande mídia, não por falta de capacidade artística, mas, pela falta de oportunidade. Artistas que são do povo, os quais lutam pela cultura tirando do bolso, muitas vezes para nos animar nas ruas como os bravos componentes dos maracatus, entre tantos outros espalhados pelo país no gênero popular. Enquanto isso era destinado a artistas que já ganham milhões cantando as modinhas sem qualidade cultural...(ARTISTAS FABRICADOS) ainda cobram nos shows absurdos reais....TAIS RECURSOS IAM PRA OS FAMOSOS EM TROCA DE APOIO POLÍTICO NAS REDES SOCIAIS, USANDO O PODER DO MICROFONE E DA GRANDE MÍDIA! MAS VAI TER GENTE QUE VAI DIZER QUE NÃO! DOENTES POR PARTIDOS!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM