Jornal do Commercio
UNASUL

Bolívia atribui à Argentina crise na Unasul

De acordo com o chanceler boliviano, a Argentina deixou ''assuntos pendentes'' na entidade

Publicado em 23/04/2018, às 17h54

O chanceler Fernando Huanacuni ainda ressaltou que as pendências precisam ser resolvidas  / Foto: AFP
O chanceler Fernando Huanacuni ainda ressaltou que as pendências precisam ser resolvidas
Foto: AFP
AFP

O chanceler boliviano, Fernando Huanacuni, responsabilizou nesta segunda-feira (23) o governo argentino pela crise da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), indicando que o país deixou "assuntos pendentes" na entidade.

"A PPT (presidênia pro tempore) da Argentina nos deixou assuntos pendentes, que merecem ser resolvidos", como a nomeação de um novo secretário-geral do organismo, afirmou o diplomata, de acordo com a agência estatal ABI. 

Seis países-membros da Unasul - Brasil, Argentina, Colômbia, Chile, Paraguai e Peru - comunicaram nessa sexta-feira (20) que suspenderão suas atividades no bloco até que seja nomeado um novo secretário-geral.



Para destravar a situação, a Bolívia, que ocupa desde este mês a secretaria pro tempore da Unasul, convocou uma reunião extraordinária de chanceleres. O objetivo é que "no âmbito do diálogo de alto nível se viabilize a nomeação do novo secretário-geral e se encaminhe a solução dos temas pendentes", disse Huanacuni na sexta. 

O cargo de secretário-geral está vago desde 31 de janeiro de 2017, após o fim da gestão do colombiano Ernesto Samper. 

Desde então, os países-membros não conseguiram chegar a um acordo para nomear um sucessor.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM