Jornal do Commercio
presidente dos estados unidos

Trump acusa Brasil de tratar empresas dos EUA 'injustamente'

Trump acusou o Brasil de tratar 'injustamente' as empresas dos EUA, afirmando que o país é um dos mais difíceis do mundo para manter relações comerciais

Publicado em 01/10/2018, às 22h19

O governo brasileiro reagiu com prudência às declarações de Trump / Foto: SEAN RAYFORD / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
O governo brasileiro reagiu com prudência às declarações de Trump
Foto: SEAN RAYFORD / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou o Brasil, nesta segunda-feira (1º), de tratar "injustamente" as empresas americanas, afirmando que o país é um dos mais difíceis do mundo para manter relações comerciais.

"É uma beleza. Eles cobram o que querem de nós. Se você perguntar nas empresas, vão dizer que o Brasil está entre os mais difíceis, talvez o mais difícil do mundo", disse Trump, durante uma coletiva de imprensa sobre o novo acordo comercial entre Estados Unidos, México e Canadá para substituir o Nafta.

"Nós não chamamos eles [os brasileiros para participar de negociações comerciais] e dizemos: 'Vocês estão tratando nosso país injustamente'", acrescentou, do jardim da Casa Branca, falando sobre as tarifas cobradas pelo Brasil. 

Trump contrapôs a situação das negociações comerciais com o Brasil com o caso da Índia - que, segundo ele, quer começar negociações comerciais com os EUA "imediatamente". 



Prudência

O governo brasileiro reagiu com prudência às declarações de Trump.

"Precisamos entender mais em detalhes qual o contexto e o teor das preocupações externadas pelos EUA", disse o secretário do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), Abrão Árabe Neto.

"De maneira geral, temos uma relação comercial muito positiva com os Estados Unidos. É nosso segundo principal parceiro comercial, temos comércio com perfil muito complementar e estratégico de trocas comerciais. E observamos nos últimos anos um fortalecimento desse comércio", acrescentou. 

Segundo o secretário, os Estados Unidos registraram um superávit de 90 bilhões de dólares no comércio bilateral de bens na última década, que chega a 250 bilhões caso sejam incluídos bens e serviços.

Os Estados Unidos são o segundo principal parceiro comercial do Brasil depois da China.

O Brasil teve um superávit de US$ 2,026 bilhões de dólares em suas trocas comerciais com os Estados Unidos em 2017, com exportações de US$ 26,872 bilhões e importações de US$ 24,846 bilhões, de acordo com dados do MDIC.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM