Jornal do Commercio
Consumo

Meio Ambiente proíbe venda do Guaiamum em todo Brasil

Iguaria deverá sair dos cardápios de restaurantes até o dia 29 de abril

Publicado em 17/03/2017, às 09h48

Venda da fêmea já é proibida. Agora, o macho também terá de sair dos cardápios de restaurantes / Foto: Alexandre Belém/Acervo JC Imagem
Venda da fêmea já é proibida. Agora, o macho também terá de sair dos cardápios de restaurantes
Foto: Alexandre Belém/Acervo JC Imagem
JC Online

A partir do dia 30 de abril, bares e restaurantes não poderão vender guaiamum macho. A proibição está nas Portarias 445/2014 e 395/2016 do Ministério do Meio Ambiente (MMA), por causa do nível crítico de ameaça de extinção. Com isso, a iguaria sairá dos cardápios definitivamente. 

Atualmente, apenas os empreendimentos que declararam estoque até 6 de março do ano passado estão comercializando. Desde o dia 1º de março deste ano, o MMA não admite mais a captura, o desembarque e a comercialização.

A venda da fêmea é vedada há mais de oito anos, com o objetivo de garantir a preservação do animal. Após a publicação da portaria 445, em 2014, a Justiça suspendeu a implantação da norma duas vezes. Em 2016, uma nova portaria (395/2016) trouxe os prazos finais, após a disputa judicial.

Com a proximidade da data final, donos de bares e restaurantes pensam em estratégias para o futuro. O Guaiamum Gigante costumava comprar até 5 mil animais por mês para atender à demanda. Hoje, possui estoque com cerca de 200.



“Desde o ano passado, temos trabalhado em cima do caranguejo. Antes, costumávamos comprar 1.200 por semana. Hoje, são 2 mil. Ficamos atento ao período de defeso e trabalhamos de acordo com as normas do Ibama”, comenta o empresário da rede Cristiano Falcão. O guaiamum, no restaurante, custa entre R$ 8 e R$ 20. Já o caranguejo sai por R$ 1,99 em algumas promoções. O nome da rede continuará o mesmo, por causa da tradição. 

O dono do Ilha do Guaiamum, em Boa Viagem, José Inácio, também pensa em investir no caranguejo. “Vamos respeitar a lei. Penso em apostar no caranguejo. Sobre o nome do restaurante, pensarei nisso depois do dia 30 de abril”, diz.

A partir dessa data, o Insttuto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vai intensificar as fiscalizações. Quem for flagrado com guaiamum após o dia 30 de abril deverá pagar multa no valor de R$ 5 mil por indivíduo. Se for comprovada a venda, o valor passa a ser de R$ 10 mil.



Comentários

Por Ricardo Recife,30/04/2017

DEVERIAM TAMBÉM PROIBIR DESTRUIÇAO DE MANGUE PARA CONSTRUÇÃO DE SUAPE, PREDIOS,ETC. AINDA ESTÁ EM TEMPO DAR VIDA AO GUAIAMU.

Por Ednaldo dos Montes Barbosa,18/03/2017

Antes de proibir a venda ,o que concordo plenamente , deveria o IBAMA combater a derrubada de mangues e árvores , tão comuns em nossas terras , particularmente em IGARASSU E PAULISTA , onde empresas tem feito derrubada sem qualquer fiscalização com autorizações FORJADAS pelas prefeituras municipais que agora têm autonomia pra fornecer e tome CORRUPÇÃO E FAVORECIMENTOS nessas LICENÇAS .

Por Manuel Junior,17/03/2017

Como sempre demorou muito, parece brincadeira. O Consumo aumento muito no litoral sul !

Por LYRA,17/03/2017

Vejam os senhores o que é se viver em uma zona e não em um país sério, as leis, decretos, Instruções Normativas e outras coisa mais, só aparecem ou são deflagadas depois da porta arrombada, ou seja, foi necessário se chegar a um número critico de Guaiamuns, para que se lançasse a proibição de suas vendas e, sabem quando é que vão deixar de vender? Nunca pois, sem fiscalizações as leis de nada valem.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM