Jornal do Commercio
PARALISAÇÃO NACIONAL

Greve dos Correios segue por tempo indeterminado em todo o Brasil

Uma nova assembleia do sindicato da categoria deve acontecer nesta terça-feira (13)

Publicado em 12/03/2018, às 21h38

Greve teve baixa adesão, de acordo com os Correios / Foto: JC Imagem
Greve teve baixa adesão, de acordo com os Correios
Foto: JC Imagem
JC Online
Com informações da Agência Estado

A greve dos trabalhadores dos Correios, que teve o seu primeiro dia nesta segunda-feira (12), segue sem prazo determinado para acabar. Deflagrada após um impasse sobre o financiamento dos planos de saúde dos funcionários, a paralisação é considerada "injustificável e ilegal" pelos Correios, que emitiram uma nota afirmando que "não houve descumprimento de qualquer cláusula do acordo coletivo de trabalho da categoria".

Nesta segunda, os trabalhadores da empresa tiveram uma audiência com o Tribunal Superior do Trabalho (TST). A proposta do TST é que os funcionários arquem com 25% do valor do plano, incluindo os custos dos dependentes (cônjuges e filhos).

Nesta terça-feira (13), vai acontecer uma nova assembleia, convocada pela diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos (SINTECT-PE), às 15h.

A Federação dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos (Fentect) informou que o benefício poderá ser reajustado conforme a idade, chegando a mensalidades acima de R$900,00.



Os Correios afirmam que os custos com os planos de saúde representam 10% do faturamento da empresa, que totaliza R$1,8 bilhão ao ano.

Baixa adesão

Neste primeiro dia de paralisação, os Correios tiveram baixa adesão de funcionários. Segundo a empresa, 87,15% do total de trabalhadores cumpriram suas funções normalmente, o que corresponde a 92.212 empregados.

O secretário-geral da Fentect disse que, pelas estimativas, a greve teve adesão de 25% dos funcionários. "Diante da gravidade do problema da empresa, achamos a adesão muito baixa. Esperávamos que fosse maior", lamentou. A Fentect representa 80 mil dos cerca de 106 mil funcionários da estatal.

Prejuízo

De acordo com informações do jornal O Estado de São Paulo, os Correios devem fechar 2017 com um prejuízo entre R$2,3 bilhões e R$2,4 bilhões.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Alexandre ,13/03/2018

Roubaram mais de 6 bilhões do fundo de pensão dos empregados dos Correios e hoje eles é quem pagam mensalmente, estimado em 40 anos de pagamento. Governo Federal devolva o dinheiro dos trabalhadores dos Correios.

Por Souza,13/03/2018

Privatiza a Eletrobras.mas,não privatiza esta porcaria dos correios.na europa e nos países desenvolvidos o serviço postal não estatal e funciona muito bem.

Por Rolds,12/03/2018

E esta porcaria de empresa ainda não foi privatizada, para que o contribuinte não continue pagando pela sua má prestação de serviço e sustentando a corrupção da geração de petralhas, metralhas, coxinhas e suas facções criminosas agregadas.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe
As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus
O JC preparou um hotsite especial em homenagem ao ator e diretor Jose Pimentel, o eterno Jesus Cristo do teatro pernambucano
Nordeste Renovável Nordeste Renovável
Com a força dos ventos e a incidência solar, o Nordeste desponta como oásis. Não só para o turismo, nem apenas no Litoral. Na geração de energia sustentável está a nova fonte de riqueza da Região, principalmente no interior

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM