Jornal do Commercio
Copa do mundo

Restos da Copa, mercadorias de 2014 voltam a ser vendidas em Salvador

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia (Sindilojas), Paulo Motta, está otimista em relação às vendas

Publicado em 15/05/2018, às 10h05

Paulo Sérgio Soares, dono de loja de tecidos, repôs mercadorias à venda / Foto: Marina Silva/CORREIO
Paulo Sérgio Soares, dono de loja de tecidos, repôs mercadorias à venda
Foto: Marina Silva/CORREIO
Da Redação do Correio (BA)

Se, para alguns comerciantes a Copa do Mundo pode simbolizar um gol de placa para melhorar as contas, para outros ainda é preciso ter cautela. Paulo Sérgio Soares, 49 anos, é um esperançoso cauteloso. Ele é sócio proprietário da loja São Bento, no Centro de Salvador, especializada em tecidos, e contou que na última Copa do Mundo, em 2014, quase levou um 7x1 nas vendas.

“Do investimento que fizemos na Copa passada, sobraram quase 40% dos produtos. Isso é muito. Este ano, eu acredito que as coisas devem melhorar um pouco, mas ainda não será como nas Copas antes da crise, quando a gente vendia bastante”, afirma.

Ontem, o movimento na loja estava grande. Segundo os vendedores, os tecidos mais procurados são aqueles com estampas em verde e amarelo. O metro está sendo vendido entre R$ 4,90 e R$ 7,90, dependendo do tipo de tecido. Os produtos chegaram na loja dele em abril, mas a procura começou para valer na última semana.



Otimismo

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia (Sindilojas), Paulo Motta, está otimista em relação às vendas. Ele acredita que, com o Mundial, as lojas vão vender mais do que no ano passado.

“Nós estamos com muito cuidado em fazer previsões porque os consumidores estão muito cautelosos. Em junho também tem São João e Dia dos Namorados. Mas estamos projetando um aumento de 5% em relação à última Copa, de 2014”, explica Motta.

Atualmente, existem cerca de 12 mil lojas em Salvador. Juntas, elas empregam 125 mil trabalhadores. Na Bahia, são 45 mil estabelecimentos com 250 mil funcionários empregados, de acordo com dados do Sindilojas.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM