Jornal do Commercio
Expectativa

Dólar volta a subir frente ao real com exterior conturbado e mau humor interno

O dólar terminou cotado a R$ 3,7631, alta de 1,28% em uma mescla de mau humor com a situação política e, sobretudo, impactado pelo cenário internacional

Publicado em 10/10/2018, às 18h59

"O mercado de hoje (quarta) foi um reflexo do cenário externo, lá fora foi um banho de sangue", aponta o economista da Nova Futura corretora, Pedro Paulo Silveira
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O mercado reverteu o bom humor nesta quarta-feira (10), e o câmbio, que chegou aos R$ 3,71 na terça-feira (9), voltou a subir e renovou sucessivas máximas próximo do fechamento. O dólar terminou cotado a R$ 3,7631, alta de 1,28% em uma mescla de mau humor com a situação política e, sobretudo, impactado pelo cenário internacional, com dados mais fortes da economia americana e um movimento de alta dos títulos americanos. Apesar da alta, o câmbio acumula uma queda de 2,41% na semana e de 7,11% no mês.

Segundo operadores ouvidos pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, a deterioração externa teria consolidado um mau humor já existente na abertura do mercado, após o candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, ter suavizado sua proposta de privatização de estatais na noite de terça. Com isso, as ações das estatais, que subiam desde o fim da semana passada, caíram significativamente. O destaque é para as ações da Eletrobras, que fecharam com queda de 9,21% (ON) e 8,36% (PN).

"Já existia uma perspectiva de começar o dia com um pequeno mau humor por conta das eleições. Mas isso explicaria apenas uma parte pequena, 30% desse movimento. O mercado de hoje (quarta) foi um reflexo do cenário externo, lá fora foi um banho de sangue", aponta o economista da Nova Futura corretora, Pedro Paulo Silveira.

A melhora nos indicadores americanos, sinalizando que mais altas de juros virão pela frente, e o consequente aumento da aversão a risco dos investidores levaram ao fortalecimento do dólar ante moedas emergentes. A moeda americana tinha alta em relação às divisas argentina, russa, mexicana e chilena. A exceção é a lira turca: o dólar tinha viés de queda ante a moeda da Turquia, com recuo de 0,50%.



Silveira aponta que a grande preocupação é com o movimento de alta dos Treasuries. Na máxima, o título do Tesouro americano de 10 anos teve taxa de 3,241%, o maior nível em sete anos. "O receio é que se consolide um ciclo de alta fora de controle", explica.

Expectativa pela pesquisa

Além disso, o mercado opera em expectativa pela pesquisa Datafolha que será divulgada na noite desta quarta, às 19h. Esta será a primeira pesquisa pós primeiro turno. O mercado aposta em uma replicação do cenário visto nas urnas do primeiro turno, com vantagem considerável de Bolsonaro sobre o petista Fernando Haddad. "A taxa de R$ 3,70 foi euforia, e a depender dos rumores, podemos voltar ao patamar de R$ 3,80/ 3,85", aponta a estrategista de câmbio Fernanda Consorte, da Ourinvest, em relatório a clientes.

Em dia de mercado mais estressado lá fora e com aumento da aversão ao risco, o Credit Default Swap (CDS), derivativo de crédito que protege o investidor contra calotes na dívida soberana, do Brasil subiu para 231 pontos, ante 221,39 do fechamento de terça, quando chegou ao menor nível desde o início de agosto, de acordo com cotações apuradas pela Markit, considerando os contratos de 5 anos.


Palavras-chave


OFERTAS

Especiais JC

Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.
Mãe Guerreira Mãe Guerreira
Junto com uma criança, nasce sempre uma mãe, que enfrenta inúmeros desafios para educar, acolher e dar o melhor aos filhos. Por isso, todas elas carregam em si a força e a coragem de verdadeiras guerreiras.
JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM