Jornal do Commercio
BOLSA

Cautela com crise pesa; Ibovespa abre em queda e sai dos 97 mil pontos

A situação complicada enfrentada pelo governo brasileiro, é mal vista por investidores, pois pode atrapalhar a evolução da reforma da Previdência

Publicado em 18/02/2019, às 12h17

Às 11h34, em nova mínima, o Ibovespa caia 0,94%, aos 96.606,27 pontos / Foto: Agência Brasil
Às 11h34, em nova mínima, o Ibovespa caia 0,94%, aos 96.606,27 pontos
Foto: Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O Ibovespa abriu em queda e passou a renovar mínimas após o início do pregão, perdendo o nível dos 97 mil pontos. A cautela com relação ao cenário político conturbado deixa os investidores cautelosos, além disso, a ausência do mercado de ações dos Estados Unidos, em razão de feriado, e o vencimento de opções sobre ações também limitam os negócios, conforme operadores.

Às 11h34, em nova mínima, o Ibovespa caia 0,94%, aos 96.606,27 pontos.

A situação complicada enfrentada pelo governo brasileiro, que pode ter a primeira baixa em menos de dois meses de gestão, é mal vista por investidores, pois pode atrapalhar a evolução da reforma da Previdência.

O imbróglio político envolve o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, cuja saída do governo é esperada para ser anunciada oficialmente nesta segunda-feira, 18. A exoneração ainda não foi publicada em edição extra no Diário Oficial da União.

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro recebeu por cerca de 30 minutos o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.

Instabilidade política e ausência das bolsas de Nova York

Um operador chama a atenção para a gravidade da situação, que pode afugentar especialmente o investidor estrangeiro. "Vamos ver como será a proposta a ser enviada na quarta-feira à Câmara. Dependendo de como ficar o texto, pode pesar no mercado", avalia um operador.



"Pode ser que a queda do Ibovespa hoje não passe de uma realização. Porém, em algum momento essa briga política pode começar a fazer preço. Há tempos não se via uma situação assim", diz um operador.

Para o economista-chefe da Infinity Asset, Jason Vieira, o recuo do índice de ações brasileiro reflete mais a ausência das bolsas de Nova York do que a instabilidade política.

Segundo ele, a forma com a qual o governo lidará com a crise será fundamental para ver se o investidor ficará dentro ou fora da Bolsa. "Ainda é cedo para avaliar qual será o impacto. Ainda acredito que a agenda positiva de reformas fará a diferença, irá se sobrepor a esse momento", estima.

De todo modo, Vieira acredita que é natural o investidor ficar cauteloso neste momento. "Temos de esperar para saber como efetivamente ficará a proposta da reforma da Previdência", pondera.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM