Jornal do Commercio
Notícia
orçamento

Guedes prometeu apoio à tramitação da PEC da regra de ouro, dizem deputados

O texto prevê o acionamento de gatilhos para reduzir despesas obrigatórias quando a regra de ouro estiver ameaçada

Publicado em 11/09/2019, às 14h32

 Guedes se comprometeu a falar com os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado para reforçar a necessidade da proposta. / Foto: José Cruz/Agência Brasil
Guedes se comprometeu a falar com os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado para reforçar a necessidade da proposta.
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, entrará em campo para fazer avançar a tramitação da PEC da Regra de Ouro (438/18), de acordo com parlamentares que se reuniram com o ministro nesta quarta-feira, 11. Segundo os deputados Pedro Paulo (DEM-RJ) e Felipe Regoni (PSB-ES) - pela ordem, autor e futuro relator da proposta na comissão especial - Guedes se comprometeu a falar com os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado para reforçar a necessidade da proposta. O texto prevê o acionamento de gatilhos para reduzir despesas obrigatórias quando a regra de ouro estiver ameaçada.

A intenção dos deputados é acelerar a tramitação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), passo necessário para a instalação da comissão especial sobre o assunto.

Paulo reclamou que falta empenho do governo para que a votação aconteça. "Hoje, o projeto foi retirado de votação da CCJ porque estava sem o líder do governo. Se o governo não der sinalização forte sobre a importância do texto, não vai", afirmou.

Os deputados estão atuando em conjunto com técnicos do governo - são 25 técnicos envolvidos na proposta - no aprimoramento da PEC "O ministro está absolutamente convencido dos efeitos positivos da PEC e da urgência dela. Aprovando a PEC, os gatilhos são acionados imediatamente porque a regra de ouro já estourou", afirmou.

Segundo Rigoni, a PEC tem o efeito de liberar R$ 102 bilhões em despesas discricionárias no orçamento do ano que vem. Isso porque o texto prevê que, quando a regra de ouro estiver prestes a ser descumprida, sejam acionados gatilhos como a redução de jornada de servidores, desvinculação de fundos e desindexação de despesas.



Além disso, também serão previstas a redução do Sistema S e de incentivos ficais, de gastos com publicidade e com servidores comissionados. "Com a PEC, o ajuste terá que ser feito e a resistência formal fica menor", afirmou Rigoni. "Hoje o parlamento discute só 4% do Orçamento, o que sobe para 8% a 10% nos próximos dois anos com a PEC", completou.

Os deputados reforçaram que a PEC e o chamado pacto federativo, prometido por Guedes para redistribuir os recursos do orçamento com os Estados, são projetos complementares. "A aprovação da PEC é um passo significativo para o pacto federativo", completou Paulo.

Segundo eles, apesar de estarem sendo discutidos ajustes no texto, não existe possibilidade de flexibilizar o teto de gastos e a PEC será utilizada apenas para atacar as despesas obrigatórias. "São só mecanismos para quebrar o piso, nenhum fura o teto", afirmou.

Regra de Ouro 

A Regra de Ouro é um mecanismo que proíbe o governo de fazer dívidas para pagar despesas públicas, como aposentadorias e salários, por exemplo. Se houver descumprimento da regra, tanto o presidente da República quanto os gestores podem ser enquadrados em crime de responsabilidade. 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM