Jornal do Commercio
Notícia
NOVA MONTADORA

Nota da fusão entre Fiat e Peugeot cita importância da posição da Jeep em Pernambuco

A empresa que nascer da fusão será a quarta maior montadora automobilística do mundo, com valor de mercado de US$ 48,4 bilhões

Publicado em 31/10/2019, às 11h25

Com a fusão, as empresas esperam gerar 3,7 bilhões de euros em sinergias anuais quando elas estiverem plenamente integradas / Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
Com a fusão, as empresas esperam gerar 3,7 bilhões de euros em sinergias anuais quando elas estiverem plenamente integradas
Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
JC Online com agências

A Fiat Chrysler Automobiles, mais conhecida com Jeep no Brasil, e o Grupo PSA, fabricante da Peugeot, anunciaram nesta quinta-feira (31) que fecharam um acordo de fusão que resultará na quarta maior montadora automobilística do mundo, com valor de mercado de US$ 48,4 bilhões. No comunicado conjunto emitido pelas empresas, foi destacada a importância da posição da FCA/Jeep nos mercados da América Latina, como Pernambuco.

"[A fusão] permitirá que os acionistas dos grupos combinados compartilhem igualmente as sinergias e benefícios que resultarão de uma fusão, reconhecendo o valor significativo da diferenciada plataforma da FCA na América do Norte e sua forte posição na América Latina, incluindo sua liderança e participações de mercados nessas regiões", diz o texto.

Ainda de acordo com a nota conjunta da Jeep e da Peugeot, os acionistas das empresas inicialmente serão proprietários de 50% da nova companhia. Os papéis serão negociados em Nova York, Milão e Paris no pregão da Euronext. Com isso, as automobilísticas disseram que esperam gerar 3,7 bilhões de euros (US$ 4,11 bilhões) em sinergias anuais quando estiverem totalmente integradas Não há planos de fechar nenhuma fábrica.

Jeep em Pernambuco

Para se ter uma ideia do tamanho da FCA/Jeep em Pernambuco, o Estado já reúne 6% dos fornecedores da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) no Brasil. O diretor de compras da FCA para a América Latina, Luis Santamaria diz que existem atualmente 16 empresas fornecedores de componentes para a linha de produção da FCA/Jeep, instaladas aqui. A meta é dobrar esse número nos próximos dois ou três anos. “Queremos expandir rapidamente. A expectativa é chegar a 25/30 fornecedores e até 12% de participação”, projetou Santamaria.

“A ideia é trazer fabricantes de peças de alto valor agregado que reduzam os custos da fábrica com logística”, definiu o diretor de compras da FCA. Dentro de dois meses deve ocorrer outro Match Day, dessa vez em Pernambuco, quando serão apresentadas a potenciais investidores a configuração do Porto de Suape e a estrutura local da fábrica da FCA/Jeep, em Goiana.

Recentemente, a FCA/Jeep anunciou que irá receber quatro novas fábricas para integrar seu parque de fornecedores em Pernambuco. Juntas,as empresas representam um investimento de R$ 250 milhões e a geração de cerca de 1.900 empregos. As quatro novas unidades deverão se instalar no estado até meados de 2020.

O presidente da Jeep, John Elkann, será o presidente da nova montadora, enquanto o executivo-chefe da Peugeot, Carlos Tavares, atuará como CEO com mandato inicial de cinco anos. 

Leia a íntegra da nota:

"O Conselho de Supervisão da Peugeot S.A. e o Conselho de Administração da Fiat Chrysler Automobiles N.V. (“FCA”) (NYSE: FCAU / MTA: FCA) concordaram de forma unânime em trabalhar numa combinação completa de seus respectivos negócios na forma de uma fusão 50/50. Ambos os Conselhos outorgaram poderes a seus respectivos times para concluir as discussões e para firmar um memorando de entendimento vinculativo nas próximas semanas.

O plano para combinar os negócios do Groupe PSA e da FCA resulta de intensas discussões entre a alta gestão das duas companhias. Ambas compartilham a convicção de que há lógica convincente para esse movimento ousado e decisivo, que criará um líder na indústria com a escala, capacidades e recursos suficientes para capturar com sucesso as oportunidades e gerenciar de forma efetiva os desafios da nova era em mobilidade.

A combinação proposta cria o quarto maior fabricante global de veículos em termos de unidades vendidas (8,7 milhões de veículos), com receitas combinadas de aproximadamente 170 bilhões de euros¹ e lucro operacional recorrente acima de 11 bilhões de euros² em uma base agregada simples dos resultados de 2018, excluindo Magneti Marelli e Faurecia. O significativo acréscimo de valor resultante da transação é estimado na ordem de 3,7 bilhões de euros em sinergias anuais, derivadas principalmente de maior eficiência na alocação de recursos para investimentos de larga escala em plataformas de veículos, motores e transmissões e novas tecnologias, além da melhoria da capacidade de compras resultante da nova escala combinada do grupo. Essas sinergias estimadas não são baseadas em qualquer fechamento de plantas.

Projeta-se que 80% das sinergias sejam alcançadas após quatro anos. O custo total único para que essa sinergia seja alcançada é estimado em 2,8 bilhões de euros.



Os acionistas de cada companhia deterão 50% do patrimônio do grupo recém-formado e, portanto, os benefícios decorrentes da combinação serão compartilhados igualmente entre eles. A transação será efetivada por meio de uma fusão sob controle de uma companhia holandesa e a estrutura de governança da nova companhia será equitativa entre os acionistas das empresas, com a maioria do Conselho de Administração composta por membros independentes. O Conselho de Administração será composto de 11 membros. Cinco membros serão nomeados pela FCA (incluindo John Elkann como presidente) e cinco serão nomeados pelo Groupe PSA (incluindo o diretor sênior independente e o vice-presidente)³. O CEO será Carlos Tavares para o mandato inicial de cinco anos. Ele também será membro do Conselho de Administração.

Carlos Tavares afirmou: “Essa convergência traz valor significativo para todas as partes envolvidas e abre um futuro brilhante para a entidade combinada. Estou satisfeito com o trabalho já feito em conjunto com Mike e ficarei muito feliz em trabalhar com ele para construirmos uma grande companhia.”

Mike Manley afirmou: “Estou muito feliz com a oportunidade de trabalhar com Carlos e seu time nessa combinação com potencial para mudar a indústria. Temos uma longa história de cooperação bem-sucedida com o Groupe PSA e estou convencido de que juntos com nossos grandes times podemos criar uma companhia de mobilidade global de nível mundial.”

A empresa controladora do novo grupo, localizada na Holanda, será listada na Bolsa Italiana (Milão), Euronext (Paris) e na Bolsa de Valores de Nova York, e continuará a manter presenças significativas nos atuais escritórios centrais da França, Itália e Estados Unidos.

Propõe-se que o estatuto da nova empresa estabeleça que o loyalty voting program não possibilite a qualquer acionista individual ter mais de 30%4 dos direitos de votos nas Assembleias Gerais. Também está previsto que não haverá transferência dos direitos de voto duplo existentes, mas que novos direitos de voto duplo serão concedidos após três anos da fusão.

Um standstill em relação às participações acionárias de EXOR N.V., Bpifrance Participations SA, DFG e da Família Peugeot será aplicado por um período de sete anos, seguindo a conclusão da fusão. EXOR, Bpifrance Participations e Família Peugeot estarão sujeitos a um bloqueio de três anos em relação às suas participações acionárias, exceto que a Família Peugeot terá permissão para aumentar sua participação acionária em até 2,5% durante os primeiros três anos após o fechamento apenas por meio da aquisição de ações da Bpifrance Participations e da DFG.

Antes do fechamento da transação, a FCA vai distribuir aos seus acionistas um dividendo especial de 5,5 bilhões de euros, assim como sua participação acionária na Comau. Adicionalmente, antes da conclusão, a Peugeot vai distribuir a seus acionistas a sua parcela de 46% na Faurecia. Isso permitirá que os acionistas dos grupos combinados compartilhem igualmente as sinergias e benefícios que resultarão de uma fusão, reconhecendo o valor significativo da diferenciada plataforma da FCA na América do Norte e sua forte posição na América Latina, incluindo sua liderança e participações de mercados nessas regiões. Também refletirá o valor agregado que Alfa Romeo e Maserati, marcas premium e de luxo da FCA, trazem devido ao seu substancial potencial de desenvolvimento.

O portfólio estendido vai cobrir todos os segmentos de mercado com marcas icônicas e produtos fortes, baseados em plataformas racionalizadas e na otimização de investimentos.

A proposta será submetida ao processo de informação e consulta aos órgãos representantes dos empregados e estará sujeita às condições habituais de fechamento da operação, incluindo aprovações finais do Memorando de Entendimentos pelos Conselhos de Administração e acordo sobre documentação definitiva.

(1) Representa a receita líquida da FCA, excluindo Magneti Marelli, e a receita do Groupe PSA, excluindo a receita da Faurecia para terceiros
(2) Representa o EBIT ajustado da FCA, excluindo Magneti Marelli, e a receita operacional recorrente do Groupe PSA, excluindo Faurecia
(3) Os representantes dos funcionários seriam definidos com base em requisitos legais em todos os níveis
(4) Não haverá minoria de bloqueio na entidade holandesa ; todas as decisões tomadas por maioria simples dos votos em caso de quorum >50%."




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Reencontros Reencontros
A menina que salvou os livros numa enchente, o garoto que venceu a raiva humana, o médico que superou a pobreza, os albinos de Olinda e o goleiro de uma só perna foram personagens do projeto Reencontros, publicado em todas as plataformas do SJCC
Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM