Jornal do Commercio
Notícia
IPO

Moura Dubeux estreia na Bolsa com desafio de convencer investidores

Após realizar IPO nesta quinta-feira (13), a incorporadora pernambucana apresentou queda na comercialização de ações

Publicado em 13/02/2020, às 14h30

Presidente e demais representantes da Moura Dubeux no IPO, na B3 / Foto: Divulgação
Presidente e demais representantes da Moura Dubeux no IPO, na B3
Foto: Divulgação
JC Online

Estreando no segmento Novo Mercado, sob o ticker MDNE3, a incorporadora pernambucana Moura Dubeux, registrou queda na comercialização de suas ações. Até o fim da manhã, as ações que haviam sido precificadas a R$ 19, amargavam uma queda de 5,2%, figurando na casa dos R$ 18. Segundo analistas, o grau de endividamento da MD é o principal entrave à atração dos investidores, que demandam agora um alto grau de performance da empresa para garantir o retorno das aplicações. 

Movimentando o equivalente a R$ 1,25 bilhão com sua oferta inicial de ações, a Moura destinará os recursos líquidos (após o pagamento dos coordenadores e das demais taxas) integralmente para o caixa da companhia, visto que a oferta é estritamente primária.

Os recursos terão a seguinte destinação de 90% para pagamento de dívidas e 10% reforço de caixa. De acordo com a consultoria Levante, o preço da oferta veio acima do esperado e, mesmo que o preço inicial indicasse o apetite dos investidores, a precificação veio acima do esperado. 

"A relação dívida líquida sobre patrimônio líquido da companhia é alta (9x) e ela (MD) amarga prejuízos há pelo menos quatro anos. Mesmo com o destaque na região onde atua (Nordeste), acreditamos que ela terá dificuldades em gerar retorno para o acionista no longo prazo. A relação risco e retorno não é convincente", explicou a Levante. 



De acordo com o presidente da B3, Gilson Finkelsztain, de todo modo, a oferta da Moura Dubeux mostra a força desse segmento no mercado de capitais. "Nos últimos 12 meses a B3 foi palco de 10 ofertas subsequentes do setor de construção que movimentaram R$ 6,8 bilhões, com uma participação expressiva de investidores pessoas físicas", afirmou. 

 Quase todos os recursos levantados pela MD serão destinados à quitação das dívidas da empresa com Banco do Brasil, Bradesco e Caixa. Curiosamente, as três instituições financeiras foram coordenadoras na oferta das ações. Em seu discurso, Diego Villar, da Moura Dubeux, disse que a história da empresa é de resiliência. “Essa conquista mostra o DNA de superação do povo nordestino”, declarou o executivo.

Novo Mercado 

Com a realização de seu IPO, a Moura Dubeux passa a ser a 142ª empresa listada no Novo Mercado, segmento que exige a adoção das mais elevadas práticas de governança corporativa, transparência e acesso às informações pelos investidores.
Acesse aqui para conferir as estatísticas e histórico de Ofertas Públicas e IPOs.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM