Jornal do Commercio
APP

Oferta de ações do Uber pode ser a maior de 2019

O Uber está buscando que sua avaliação fique entre US$ 90 bilhões e US$ 100 bilhões

Publicado em 11/04/2019, às 07h48

A empresa fará o registro público da abertura de capital nesta quinta-feira (11) / Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
A empresa fará o registro público da abertura de capital nesta quinta-feira (11)
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O aplicativo de transportes Uber decidiu vender US$ 10 bilhões em ações em sua chegada na bolsa de valores. A empresa fará o registro público da abertura de capital nesta quinta-feira (11). Esse valor coloca a ida do Uber a mercado como uma das maiores entre as empresas de tecnologia de todos os tempos - a empresa ficaria atrás apenas da gigante chinesa Alibaba, que abriu capital em 2014. À época, ela captou US$ 25 bilhões e foi avaliada em US$ 231 bilhões.

O Uber está buscando que sua avaliação fique entre US$ 90 bilhões e US$ 100 bilhões, influenciado pelo desempenho das ações de sua rival Lyft, que foi a mercado no mês passado.

A rival do Uber captou US$ 2,3 bilhões, sendo avaliada em US$ 24 bilhões. Como costuma acontecer, no dia seguinte ao lançamento as ações da empresa fecharam abaixo do preço inicial, que era de US$ 72. Nessa quarta-feira, 10, as ações da Lyft encerraram o pregão valendo US$ 60,12.

Bancos de investimento chegaram a avaliar o Uber em US$ 120 bilhões. Recentemente, porém, a empresa teve o valor estimado em US$ 76 bilhões no mercado privado.



Road show

O Uber fará sua rodada de apresentação a investidores durante a semana de 29 de abril, após o registro público da abertura, que deve ser feito ainda nesta semana. Na rodada, será estabelecido o preço dos papéis no lançamento. Segundo as fontes, o Uber deve chegar à bolsa de Nova York em maio. A empresa não comentou o assunto.

O Uber faz parte do grupo de empresas de tecnologia que decidiu realizar o IPO em 2019. Além do app de transportes Lyft, a lista inclui a plataforma corporativa Slack, a rede social Pinterest e o serviço de hospedagem Airbnb.

Na última segunda-feira, 8, o Pinterest também alterou para baixo as expectativas para sua ida ao mercado. Em documento, a empresa afirmou que pretende oferecer ações entre US$ 15 e US$ 17. Com esse preço, a rede social seria avaliada em US$ 11,3 bilhões - abaixo de sua a última estimativa, em 2017, que foi de US$ 12 bilhões. (Com agências internacionais)




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM