Jornal do Commercio
Mercado animal

Pernambuco vai ganhar uma fábrica de sorvete para cães e gatos

Potinhos de 90 g custarão em média R$ 7,20

Publicado em 13/05/2012, às 09h00

Uma notícia boa para cachorro. Depois dos ossinhos, petiscos e chocolates, Pernambuco vai ganhar uma fábrica de sorvetes para cães e gatos, no segundo semestre deste ano. O produto já é vendido em larga escala em locais como Estados Unidos, Bélgica, Japão e Taiwan. A localidade ainda está sendo fechada: Jaboatão dos Guararapes, Gravatá ou Abreu e Lima.

A Icepet investirá R$ 1 milhão, entre construção da fábrica, compra do maquinário, adaptação do local e estrutura dos pontos de venda. A ideia é que a planta tenha 1 mil m². Serão gerados 20 empregos diretos e mais 100 indiretos.

O sorvete para cachorros e gatos fabricado aqui será distribuído de Salvador a Fortaleza e, dependendo da demanda, também para o Norte do País. “Nossa sede fica em São Paulo, no bairro do Brooklin. Fornecemos para São Paulo, Rio de Janeiro e algumas cidades do Sul. Chegamos a mandar sorvete até para Belém (PA), mas, nesse caso, o transporte fica bem caro, chega a dobrar o valor do produto, porque precisa ser aéreo. Por isso as vantagens da instalação de uma indústria no Nordeste”, comenta o diretor do negócio, o pernambucano Paulo Silva.

>> Veja vídeo institucional da Ice Pet:

 

Como os animais são bem mais sensíveis ao consumo a determinados tipos de alimentos, Ice Pet pesquisou e desenvolveu fórmulas e receitas exclusivas, com teor reduzido de lactose, sem açúcar e totalmente livre de gordura trans. “Fabricamos 14 mil potinhos de sorvete por mês em São Paulo e pretendemos atingir essa marca até o fim do ano no Estado”, contabiliza. A Icepet possui diversos sabores. Para cães: bacon, creme, menta, chocolate, morango, milho verde e banana. Para gatos: frango, salmão e leite.



Os sorvetes são vendidos em porções de 90 g. “Estamos nos preparando para lançar uma porção menor, de 50 g, com foco nos gatos”. A recomendação de Paulo é que o potinho seja vendido por R$ 7,20 nos pontos comerciais, que podem ser supermercados, clínicas veterinárias, pet shops e até farmácias. “Até 2013, atingiremos mil pontos de venda espalhados pelo País”.

Paulo aproveitou a Feira Nacional de Produtos e Serviços para a Linha Pet e Veterinária (Fenapet) – que acontece no Centro de Convenções, em Olinda, até a próxima terça – para lançar o produto no Nordeste e nova campanha da marca, com a Turma da Mônica.

MERCADO

De acordo com o coordenador da Fenapet, Paulo Andre Moura, o Brasil tem mais de 100 mil pontos de venda de produtos pet, 25 milhões de cães, 11 milhões de gatos, 4 milhões de pássaros e 500 mil aquários.
Os brasileiros já ocupam o segundo lugar no ranking de consumo de produtos pets, atrás apenas dos norte-americanos.

A Fenapet é uma feira nacional dirigida aos setores de saúde animal, nutrição, estética, equipamentos, aquarismo, acessórios, especialidades veterinárias publicações e serviços.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM