Jornal do Commercio
INFRAESTRUTURA

Obras da Ferrovia Transnordestina se arrastam

Reportagem do JC flagra equipamentos sem uso próximo ao canteiro de obras entre Serrita e Salgueiro, no sertão

Publicado em 09/03/2013, às 10h00

Do JC Online

As obras da Transnordestina continuam devagar quase parando. Em alguns locais, vagões de trens e caminhões estão abandonados próximos aos canteiros de obras, como ocorreu entre Serrita e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco (ver foto). “As obras pararam em Salgueiro. O ritmo está lento desde março do ano passado”, afirmou o representante do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada (Sintepav) em Salgueiro, Luciano Silva. Em junho de 2006, quando foi iniciada a sua construção, a previsão era que a ferrovia custaria R$ 4,5 bilhões e seria totalmente concluída até 2010.

“Atualmente, são cerca de 2 mil pessoas trabalhando nos três Estados nas obras da ferrovia”, disse Luciano. Somente para o leitor ter ideia, cerca de 11 mil homens atuavam nas obras do empreendimento em 2010. Agora, as poucas obras que estão sendo tocadas em Pernambuco estão em Arcoverde, Custódia e alguns municípios do Arararipe, ainda de acordo com informações do Sintepav. Também localizada em Salgueiro, a fábrica que vai produzir dormentes para o empreendimento continua em funcionamento.

A Transnordestina terá 1.728 quilômetros e vai ligar a cidade de Eliseu Martins (no Piauí) aos portos de Suape e Pecém, no Ceará. Grande parte da obra está sendo feita pela Construtora Odebrecht, mas a responsável pela implantação do empreendimento é a empresa Transnordestina Logística S.A. (TLSA), que ganhou a concessão para explorar a antiga Malha Nordeste, quando ocorreu a privatização.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

 

Até dezembro do ano passado, foram empregados R$ 3,7 bilhões nas obras da Transnordestina. Apesar de ser um empreendimento privado, grande parte dos recursos saiu de financiamentos do governo federal e uma parte não será devolvida ao Estado porque foram incentivos fiscais concedidos pela Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). A expectativa é que a ferrovia seja concluída em 2015, segundo informações do Ministério dos Transportes.



No último balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o próprio governo federal divulgou que as obras ficarão em R$ 7,5 bilhões, o que significou um aumento de 2,1 bilhões sobre o último preço acordado entre a empresa e a União.

O que está impedindo o andamento das obras é um processo de renegociação dos preços entre a União e a TLSA. Procurada pela reportagem do JC, a assessoria de imprensa da TLSA informou que está em fase de renegociação de parâmetros de preços e prazos com o governo federal.

Ainda com relação aos equipamentos que estavam sem uso entre Salgueiro e Serrita, a empresa informou que os equipamentos não estão abandonados e “que adquiriu ativos (locomotivas e vagões) para atender a demanda da operação comercial do projeto”... e os equipamentos “inativos” estão distribuídos nos diversos pátios de cruzamento da malha. Detalhe: os equipamentos fotografados pela reportagem do JC não estavam em pátios e uma parte deles estava desmontada.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM