Jornal do Commercio
NEGÓCIOS

Presença da Queiroz Galvão é forte em Pernambuco

Desde 1963 a sede foi levada para o Rio de Janeiro, mas negócios no Estado continuam

Publicado em 27/10/2013, às 00h00

Emídia Felipe

Quando completou 10 anos de fundação e seu crescimento permitiu que se tornasse uma S/A, a Queiroz Galvão partiu para o Rio de Janeiro, onde fixou sua sede. No entanto, a família pernambucana, cuja maior parte ainda mora no Estado, manteve negócios aqui. Para além dos laços afetivos, são investimentos de grande porte e relevantes tanto para a companhia como para Pernambuco.

Entre eles, estão a Via Mangue, obra cujo os investimentos públicos são superiores a R$ 500 milhões. O empreendimento é considerado a maior obra viária das últimas décadas no Recife, abrindo novo acesso entre a Zona Sul e os bairros centrais da capital. Outro destaque atual é a construção da Refinaria Abreu e Lima, no Complexo Portuário e Industrial de Suape, na qual o grupo participa em consórcio com outras empresas. 



Na área de petróleo e gás, um dos maiores focos de expansão da holding no País, a Queiroz Galvão Exploração e Produção (QGEP) adquiriu dois blocos exploratórios na Bacia Pernambuco-Paraíba, na 11ª Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), realizada em maio deste ano. 

Outras ramificações da holding também atuam em Pernambuco, como a Vital Engenharia Ambiental, braço do grupo dedicado à gestão de resíduos e a serviços de limpeza urbana. No segmento imobiliário, a Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário (QDGI) oferta imóveis residenciais e empresariais. A área de produção de alimentos - para consumo interno e exportação, cujas atividades são geridas pela área de Gestão de Negócios - está presente no Vale do São Francisco, no Sertão. No litoral, há ainda a atuação no polo naval, com a participação de 37,5% no grupo do Estaleiro Atlântico Sul. 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM