Jornal do Commercio
ENERGIA

Aneel define aumento da conta de luz de pernambucanos na próxima terça

Reajuste vai entrar em vigor no dia 29 deste mês. Previsão é de que o valor fique próximo a inflação

Publicado em 20/04/2016, às 10h06

Reajuste deve ficar próximo à inflação, afirma especialista. / Foto: Helia Scheppa/Arquivo JC Imagem
Reajuste deve ficar próximo à inflação, afirma especialista.
Foto: Helia Scheppa/Arquivo JC Imagem
Da Editoria de Economia

O consumidor pode ir preparando o bolso. Na próxima terça-feira (26), a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai definir o aumento anual dos clientes da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). O reajuste vai entrar em vigor no dia 29 deste mês. Nesta terça-feira (19), foram anunciados os reajustes dos consumidores residenciais do Ceará, da Bahia e do Rio Grande do Norte que foram, respectivamente em média, 13,7%; 10,82% e 7,8%. Nesses Estados, o novo preço entra em vigor na sexta-feira (22).

O reajuste da Celpe deve ficar próximo à inflação, segundo um especialistas do setor elétrico que preferiu não se identificar. O cálculo do reajuste de energia é bastante complexo. De acordo com a Aneel, o aumento reflete a variação de custos associados à prestação do serviço, conforme estabelecido no contrato de concessão das distribuidoras, levando em conta a aquisição e a transmissão de energia elétrica, além dos encargos setoriais, impostos cobrados na conta de energia. 

Os custos típicos da atividade de distribuição são atualizados com base no Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) que registrou uma variação de 11,56% nos últimos 12 meses. 

A Companhia Energética do Ceará (Coelce), a Companhia Energética da Bahia (Coelba) e Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) tem condições parecidas com a da Celpe. A Coelba e a Cosern pertencem ao Grupo Neoenergia, o mesmo dono da Celpe. 



No Ceará, a indústria terá um reajuste médio 11,51%. A Coelce fornece energia para 3,4 milhões de unidades consumidoras em 184 municípios daquele Estado. Em termos de tamanho, é a distribuidora mais próxima da Celpe. 

As indústrias baianas terão um reajuste médio de 10,64%. A Coelba atende 5,7 milhões de consumidores nos 415 municípios baianos.

Das três distribuidoras citadas acima, a Cosern foi a que apresentou o menor percentual de reajuste para a indústria, ficando em 7,61%. A distribuidora potiguar possui 1,3 milhão de unidades consumidoras em 167 municípios.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM