Jornal do Commercio
Impostos

Governo de PE obriga usuário a pagar IPVA em janeiro

Todos os proprietários de veículos terão que pagar a parcela única ou a primeira cota em janeiro

Publicado em 07/12/2016, às 12h01

Escalonamento agora será apenas de data / Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Escalonamento agora será apenas de data
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Da Editoria de Economia

Não bastassem todas as despesas do início do ano, os proprietários de veículos usados terão que arcar com mais um pagamento na virada de 2017. O governo de Pernambuco publicou o Decreto Nº 43.866, estabelecendo novos prazos para o recolhimento do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).  Pela nova regra, todos os pagamentos (independente do último dígito da placa) terão que ser iniciados em janeiro.

>>> IPVA adiantado terá desconto de 7%


DATAS

A partir de 2017, o escalonamento passa a ser apenas de dias no mês de janeiro. Os veículos de placas com final 1 e 2 terão que pagar a cota única no dia 17 de janeiro e para quem optar pelo parcelamento a primeira cota será em 17 de janeiro e a segunda em 9 de fevereiro. No ano passado, o calendário do IPVA começava em março e os últimos pagamentos eram realizados em maio. Com o decreto, até março já terá sido feito todo o recolhimento.



 

 

Para quem tem placa com finais 3 e 4, o pagamento terá que começar a ser feito em 20 de janeiro. Os carros de placa com final 5 e 6 pagam em 24 de janeiro, os de 7 e 8 em 27 de janeiro e os de 9 e 0 em 31 de janeiro.

Em ano de crise, a antecipação do recolhimento do IPVA é uma estratégia para o governo do Estado fazer caixa, enquanto o usuário se descapitaliza ainda mais num mês em que já precisa arcar com matrícula escolar e IPTU.


Palavras-chave


Comentários

Por Benito,09/12/2016

O engraçado nesta malvadeza é que temos uma coisa chamada casa de vereadores, e seu presidente eterno na função. Vejam um só deles( são uma tonelada) que tenha se manifestado a favor dos que já pagam impostos em cascata,e em janeiro principalmente, adianta tantos defensores do povo seguindo as ordens do dono?.

Por silvio,08/12/2016

Brasil mostra tua cara que ver quem paga pra gente ficar assim, Brasil qual e teu negocio. esse nosso socio so nos roubar Brasil vamos para

Por eduardo,08/12/2016

Isso pra mim, é fazer que os brasileiros se prejudiquem mais e mais, mas acho bem empregado, porque é o povo brasileiro que elege esses corruptos,então arca com as consequências. E ainda, vai vim só o pior daqui pra frente, pode esperar. Quando o povo tiver consciência, e ver que, quem manda nesta bosta de país somos nós, aí sim, tudo muda. Porque quem tem o poder nas mãos, não é presidente, governador, senador, deputado, prefeito e nem vereador, quem tem esse poder é o povo brasileiro. O problema, é que o povo se ilude por bosta, coisas que ganha agora,mais pra frente vem a rebordosa. Vamos acordar povão e mostrar a esses corruptos a nossa força.

Por fernando,08/12/2016

o que vou dizer pode não resolver mais. sou mas um dos que pago minhas contas e a deles. estou dilatado com tantas sacanagem dessa rele de politico e presidente de cartel,

Por Neuza,08/12/2016

Corda muito esticada um dia se parte.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM