Jornal do Commercio
JC 360

Servidores públicos podem evitar burocracia na hora de trocar carro

Cooperativa de crédito financia até 80% de veículos novos e pode ter taxas mais atrativas

Publicado em 29/07/2017, às 15h00

Sandra Diógenes escolheu a cooperativa Sicredi Pernambucred para financiar seu carro novo / Ashlley Melo/JC360
Sandra Diógenes escolheu a cooperativa Sicredi Pernambucred para financiar seu carro novo
Ashlley Melo/JC360
JC Online

Quando chega a necessidade de comprar um carro ou a hora de trocar aquele veículo usado, muita gente desanima. Pensa na burocracia, nos processos pelos quais terá que passar até vender o carro antigo, da busca incansável por financiamento, da pesquisa sem fim para encontrar o melhor preço e as melhores taxas. A funcionária pública recifense Sandra Diógenes, por exemplo, ficou em dúvida se essa era a melhor hora de fazer a troca. “Com essa atual crise, eu fiquei naquela: troco? Não troco? A gente não sabe o cenário que vem pela frente, não é?”, afirma.

“Toda vez que eu vou comprar um carro, eu passo dois, três, quatro meses pesquisando. Vejo reclamações, custo-benefício, preços, itens de conforto”, detalha. Depois de bater na porta de várias concessionárias, bancos e financeiras de automóveis, ela escolheu financiar o veículo através de uma cooperativa de crédito. Por ser funcionária pública, a escolhida foi a Sicredi Pernambucred.

“O que me levou a fechar negócio realmente com a cooperativa foi primeiro a questão dos juros e do valor das parcelas, que foi bem aquém do que eu já tinha pesquisado”, relata. Ela destaca também o atendimento diferenciado e a facilidade de fazer a troca. Eles mesmos fazem a vistoria do automóvel. Dois dias depois fui lá, assinei o contrato, sem muita burocracia”, continua.

O financiamento de veículos é voltado para quem quer adquirir um carro, mas não tem o valor total da transação. Na cooperativa, o associado dá um valor de entrada e parcela o restante da compra, com débito automático na conta corrente, com prestações fixas, em até cinco anos. O próprio veículo comprado fica como garantia para a cooperativa.

Só podem ser financiados pela cooperativa Sicredi Pernambucred os carros de passeio e utilitários, novos ou usados. É possível financiar até 80% dos carros zero quilômetro, tomando por base o valor especificado na nota fiscal. Para os seminovos ou usados, até 70% do valor do carro pode ser financiado – desde que tenha até cinco anos de uso.



Presidente executivo da cooperativa Sicredi Pernambucred, Giovanni Prado

“Além de ter a vantagem de ser rápido, na cooperativa você tem uma das melhores taxas do mercado”, explica o presidente executivo da cooperativa Sicredi Pernambucred, Giovanni Prado. Ele diz que o papel da instituição é tentar encontrar a melhor solução para o associado, seja ela qual for. “E se for mais vantagem para ele financiar diretamente pelo agente da concessionária, a gente diz”, garante.

Os valores da taxa são definidos pelo valor da entrada e o prazo de pagamento. Quanto maior o valor da entrada e menor o prazo, menor é a taxa. “Isso está ligado ao risco da operação. Dependendo da sua capacidade de pagamento, a instituição corre menos risco”, continua o presidente. Como a cooperativa de crédito não tem fins lucrativos e os resultados anuais são devolvidos aos associados, a vantagem fica evidente.

O financiamento pela cooperativa é exclusivo para os associados: servidores públicos de todos os níveis de governo - municipal, estadual ou federal -, podendo ser um funcionário estatutário, celetista ou de cargo comissionado. “O financiamento de veículo é específico para associado. Se este tem esposa ou filho, e quer comprar esse carro para a esposa ou filho, o que ele pode fazer é associá-los”, diz. Podem ser dependentes pais, mães, cônjuges, filhos e irmãos.

Sandra diz estar satisfeita. É o carro de que ela precisava para suprir as necessidades de viagem e de passeio. “Analisei meu orçamento, vi que as parcelas que eu tinha simulado pela cooperativa cabiam no meu bolso. Então calhou necessidade, oportunidade e custo-benefício”, conclui a servidora pública.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM