Jornal do Commercio
JUCEPE

Cerca de 12 mil empresas podem ter os registros cancelados em Pernambuco

Prazo máximo para atualização de informações na Junta Comercial de Pernambuco vai até o próximo dia 28

Publicado em 14/02/2018, às 16h33

Após prazo, a Jucepe comunicará o cancelamento à Receita Federal, Receita Estadual, INSS e Caixa Econômica Federal  / Foto: Jucepe/Divulgação
Após prazo, a Jucepe comunicará o cancelamento à Receita Federal, Receita Estadual, INSS e Caixa Econômica Federal
Foto: Jucepe/Divulgação
Editoria de Economia

O dia 28 de fevereiro é o prazo final para que cerca de 12 mil empresas de Pernambuco não tenham suas inscrições canceladas e percam o direito ao uso do seu nome empresarial. O processo, realizado pela Junta Comercial de Pernambuco (Jucepe), por força de uma Lei Federal, tem como objetivo a atualização do Cadastro Nacional de Empresas Mercantis (CNE) e precisa ser feito de forma online.

De acordo com a Presidente da Jucepe, Taciana Bravo, "primeiro é preciso que os proprietários pesquisem, no próprio site da Jucepe, se o nome da empresa está sujeito ao cancelamento. Estando, é preciso seguir o passo a passo, disponível no portal, para atualização". O principal motivo para que os registros sejam cancelados, ainda conforme Taciana, é que "por muitas vezes, as empresas realmente estão funcionando e, por até mesmo falta de conhecimento, não atualizaram informações como endereço ou qualquer outro tipo de mudança que sofreram ao longo do tempo".



Através do site, as empresas que estão há dez anos ou mais sem realizar qualquer registro ou alterações no seu cadastro necessitam comunicar o desejo de se manter em funcionamento, paralisar temporariamente suas atividades ou, ainda, arquivar alteração contratual em caso de modificação dos dados da empresa.

Consequências

As empresas que não cumprirem as exigências no prazo terão o registro empresarial cancelado administrativamente e serão declaradas inativas, perdendo automaticamente a proteção do nome empresarial. Após o prazo, a Jucepe comunicará automaticamente à Receita Federal, Receita Estadual, INSS e Caixa Econômica Federal o cancelamento das inscrições, liberando, assim, o nome empresarial para uso de terceiros.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Abdon Abel,15/02/2018

Absurdo esse cancelamento feito pela Jucepe, pois não passa de manobra para arrancar dinheiro das empresas. Se o problema é provar que existe e está ativa, então porque não faz verificação automática pelo Redesim/DNRC/RFB/Sefaz para confirmar quem ainda está ativo? os sistemas são integrados. Outra opção seria disponibilizar isso sem custo; mas, nisso ninguém pensa né?



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM