Jornal do Commercio
Setor produtivo

Pernambuco tem oito câmaras temáticas e 22 câmaras setoriais

Proposta é melhorar a interlocução entre os setores público e privado na resolução de demandas de curto, médio e longo prazo das empresas

Publicado em 10/08/2018, às 16h06

Secretário de Desenvolvimento Econômico, Antonio Mario, comandou o lançamento das câmaras / Foto: Divulgação
Secretário de Desenvolvimento Econômico, Antonio Mario, comandou o lançamento das câmaras
Foto: Divulgação
Da Editoria de Economia

Empresários e representantes de vários setores da economia pernambucana lotaram ontem o auditório do Centro de Artesanato no Bairro do Recife para participar do evento de implantação das câmaras temáticas e setoriais do Estado. A proposta é aproximar iniciativa privada e governo para discutir e buscar alternativas para melhorar o desempenho dos setores. No total, foram lançadas oito câmaras temáticas e 22 câmaras setoriais, presididas por lideranças em cada uma das atividades.

A Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper) será responsável por manter contato direto com as câmaras para entender as principais demandas dos setores e tentar encontrar soluções. O presidente da AD Diper, Antônio Xavier, explica que as câmaras temáticas terão uma abrangência maior, enquanto as setoriais estarão focadas em segmentos mais específicos. “Um exemplo é a câmara temática automotiva e a câmara setorial de componentes automotivos”, ilustra.



DEMANDAS

As câmaras temáticas estão voltadas para as atividades de energia, logística, comércio exterior, eventos e feiras de negócios, comércio e serviços, portos, bancos de fomento e automotiva. Já as câmaras setoriais comportam fruticultura irrigada, ovinocaprinocultura, avicultura, mel, agricultura e ecologia, açúcar e álcool, cachaça, avicultura, componentes automotivos, vidros, imobiliária, cerveja artesanal, gesso, micro e pequenas empresas, artesanato, higiene e limpeza, têxtil, resíduos especiais, audiovisual, gastronomia, moda, saúde, e energias renováveis.

Com experiência na iniciativa privada, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Antonio Mario Pinto de Abreu, diz que se inspirou na experiência da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece) na implantação de câmaras temáticas e sociais para replicar o modelo em Pernambuco. “É uma forma eficiente de detectar as demandas e agir de forma articulada, unindo empresas e governos e ajudando a formular políticas de desenvolvimento para o Estado”, diz.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM