Jornal do Commercio
COMBUSTÍVEIS

Preço da gasolina cai no Recife

Postos do Recife acompanham tendência de queda registrada nos preços repassados pelas refinarias às distribuidoras

Publicado em 29/11/2018, às 05h30

Alguns postos de gasolina reduziram os preços em até R$ 0,30 nos últimos dez dias / Foto: André Nery/Acervo JC Imagem
Alguns postos de gasolina reduziram os preços em até R$ 0,30 nos últimos dez dias
Foto: André Nery/Acervo JC Imagem
Da Editoria de Economia

Após a Petrobras aplicar sucessivos cortes nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias, alguns postos do Recife estão comercializando combustível mais barato. A reportagem do JC encontrou o litro da gasolina sendo vendido por R$ 3,91. Na semana passada, a Agência Nacional de Petróleo (ANP) verificou preço médio de R$ 4,31 na capital do Estado.
Ontem, entrou em vigor nova redução de 3,53% no preço do litro da gasolina comercializado às distribuidoras nas refinarias da Petrobras, atingindo um valor médio de R$ 1,5007. Corrigido pela inflação, é o menor preço em 13 meses. Só em novembro, houve queda de quase 20%.

 

Alguns postos já estão conseguindo repassar os descontos para os clientes. No posto Escadense, na Rua São Miguel, em Afogados, há dez dias, o preço do litro da gasolina passou de R$ 4,19 para R$ 3,91, quase R$ 0,30. “O reajuste nas refinarias influencia, mas também seguimos a concorrência”, diz o chefe de pista do estabelecimento, Inaldo Menezes. Na Rua São Miguel, a concorrência é acirrada. É possível encontrar o litro da gasolina por R$ 3,94 e R$ 3,98.

O mesmo movimento de redução aconteceu no posto FVV, na Avenida Militar, no bairro do Recife Antigo. Segundo o gerente, George Gomes, foi repassado redução de R$ 0,30 para o consumidor em duas semanas. Hoje, o litro sai por R$ 4,19. “Assim que a distribuidora nos dá o desconto, nós repassamos para o consumidor. A queda no valor depende da refinaria, da distribuidora receber o combustível mais barato e do estoque do posto, por isso o preço pode variar”, explica.



Os consumidores já notaram que é preciso pesquisar para encontrar o valor mais baixo. “Não sinto o preço baixar. Eu faço pesquisa, quando vejo que está mais barato, abasteço logo”, comenta o economista Evaldo Marinho, 63 anos. O mesmo é sentido pela funcionária pública Polyana Soares, 34. “O litro estava por R$ 4,60 e passou para R$ 4,19, há um mês. Os preços variam muito, então, sempre pesquiso”, afirma.

CAUSAS

O ciclo de queda do combustível na refinaria começou no dia 22 de setembro, motivado pelo recuo da taxa de câmbio às vésperas do primeiro turno das eleições. Ao mesmo tempo, o valor do barril de petróleo caiu. Na última sexta-feira, o valor desabou 8% e chegou ao menor nível em um ano. “As quedas começaram há cerca de 60 dias. Há uma tendência de queda porque a estatal baixa o preço, mas a distribuidora nem sempre recebe esse combustível mais barato no mesmo dia. Isso vai chegando gradativamente. Já é possível encontrar o litro da gasolina por R$ 4”, explica o diretor da rede Ecopostos, Rafael Coelho. É importante lembrar que os preços praticados pelos postos de gasolina são livres, então, cabe aos donos decidirem se vão repassar os descontos ou não. 

Nem todo mundo sente a queda no valor do combustível. A ANP pediu esclarecimento às principais distribuidoras sobre por que a queda dos preços dos combustíveis nas refinarias da Petrobras não chega ao consumidor final. As empresas têm 15 dias para responder. Pelas contas da ANP, o litro da gasolina nas refinarias da estatal ficou R$ 0,46 mais barato do dia 18 de setembro até a semana passada. Mas para o consumidor final a redução foi de R$ 0,04.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM