Jornal do Commercio
IMÓVEIS

Franquia imobiliária expande mercado apesar da retração no setor de imóveis

Empresa norte-americana de franquia imobiliária aposta nos imóveis usados para crescer no Brasil

Publicado em 05/02/2019, às 17h50

Peixoto Accyoli, presidente da da Re/Max no Brasil, espera faturar R$ 300 milhões este ano nos estados de Pernambuco, Alagoas e Maranhão / Foto: Divulgação
Peixoto Accyoli, presidente da da Re/Max no Brasil, espera faturar R$ 300 milhões este ano nos estados de Pernambuco, Alagoas e Maranhão
Foto: Divulgação
Editoria de Economia

As franquias de negócios imobiliários estão se expandindo no Nordeste. A Re/Max, empresa norte-americana fundada na década de 70 e há 10 anos atuando no Brasil, está reforçando a atuação no setor imobiliário da região, após crescimento de 15% em 2018. O crescimento da franquia é maior do que o registrado pelo IVV (Índice de Velocidade de Vendas), da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe). No período de janeiro a outubro, entre 2017 e 2018, o índice subiu de 5,67% para 5,92%.

“É verdade que, de forma geral, houve uma estagnação das vendas do setor imobiliário no ano passado, mas, sobretudo, em relação a novos lançamentos. Este segmento representa apenas 15% do mercado”, explicou o presidente da Re/Max Brasil, Peixoto Accyoli. O executivo esteve no Recife para acompanhar a inauguração da nova sede em Pernambuco e explicou que a franquia imobiliária atua principalmente com os imóveis usados e o chamado mercado de segunda habitação, como as casas de praia. “Fechamos 2018 com R$ 140 milhões em negócios regionais, nos Estados de Pernambuco, Alagoas e Maranhão. Para 2019, a perspectiva é ainda melhor, já que a rede planeja faturar R$ 300 milhões em vendas de imóveis nesses três Estados”, diz Accyoli.



FRANQUIA

O diretor geral da Re/Max para os Estados da Alagoas, Maranhão e Pernambuco, Fernando Moura, diz que, nessas localidades, já são 22 unidades da Re/Max em funcionamento, e 17 em fase de abertura. “Nossa meta para 2019 é chegar a 70 franquias”, diz Moura, o que significa cerca de mil corretores nos três Estados. Apenas em Pernambuco, onde concentramos maior número de franquias em funcionamento, nosso objetivo é inaugurar 30 novas franquias, com 800 corretores.

”Além do Recife, a Re/Max possui franqueados em Carpina, Caruaru, Garanhuns e Petrolina, que reúnem 200 corretores, sendo 100 no Recife. As próximas devem ser abertas em Olinda, Arcoverde e Porto de Galinhas. O valor mínimo para adquirir uma franquia da marca é de R$ 80 mil. É possível também, no caso dos corretores de imóveis, se tornarem agentes, associado às franquias. Neste caso, é preciso ser um corretor credenciado e seguir o programa de capacitação da empresa através de sua Universidade Corporativa. “Temos uma política voltada ao mercado e dedicada a treinar especialistas em negócios imobiliários com um atendimento mais profissional e mais próximo dos clientes”, afirma Peixoto Accioly.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM