Jornal do Commercio
Notícia
Risco ao turismo

Incidente com petróleo nas praias do Nordeste pode afastar turistas, diz especialista

Além de Pernambuco, outros cartões-postais nordestinos foram afetados pelas manchas do petróleo

Publicado em 27/09/2019, às 08h11

Nove tartarugas foram encontradas com manchas de petróleo / Foto: Reprodução/ Instituto Verde Luz
Nove tartarugas foram encontradas com manchas de petróleo
Foto: Reprodução/ Instituto Verde Luz
Marília Banholzer
mariliab@ne10.com.br

Desde o início deste mês, manchas de petróleo foram identificadas em pelo menos 16 praias pernambucanas, segundo dados oficiais do Ibama. Um incidente que mancha o litoral nordestino pode causar prejuízos não só ao ecossistema, mas ao turismo dessa região que sobrevive dos destinos de sol e mar. Empresários ligados ao trade turístico de Pernambuco que estão participando da 47ª Abav Expo Internacional, em São Paulo, foram pegos de surpresa nessa quinta-feira (26) quando perguntados sobre o tema.

Entre as praias de Pernambuco onde os resíduos foram encontrados, estão Porto de Galinhas, Tamandaré e Carneiros, no Litoral Sul. Na outra ponta, as praias do Litoral Norte como Ilha de Itamaracá, Ponta de Pedras e Catuama também foram afetadas. Todas "vendidas" como destinos turísticos no Estado.

Para a turismóloga Ana Cristina Morais, consultora de turismo, um incidente como este pode afastar visitantes que escolhem o destinos baseados em sua biodiversidade. "O carro chefe do Nordeste é o turismo de sol e mar, é inegável. A partir do momento que você tem uma agressão ambiental que vai trazer risco para a biodiversidade e que pode tornar esse mar impróprio para o banho, é um grande prejuízo para o turismo", avaliou a especialista.



Mais alertas 

Além de Pernambuco, outros cartões-postais nordestinos foram afetados pelas manchas de óleo, como Praia do Futuro, no Ceará, e Maragogi, em Alagoas. A situação tem deixado o setor turístico em alerta. O presidente da Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo, Elzário Pereira, lamentou a situação e acredita que o fato causará até mesmo desistência por parte dos visitantes. “Como você vai atrair visitantes para uma região que está sendo afetada por uma substância química? Apesar de outros atrativos, o sol e a praia são os mais fortes. Certamente haverá cancelamentos de viagens”, disse.

Para o professor de Economia do Turismo do Departamento de Hotelaria e Turismo da UFPE, Luís Henrique de Souza as manchas causam impacto na imagem dos estados que vivem do turismo de sol e mar e afetam a receita do setor. "Cancelamento de pacotes podem ocorrer isso causará redução no rendimento dos destinos pela atividade turística. Os empreendimentos turísticos dependem dessa receita e a partir do momento que as manchas atrapalham esse fluxo, outros setores interligados também são afetados", alertou o professor Luís Henrique.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM