Jornal do Commercio
Artigo
Opinião

Fernando Castilho: preço da carne terminará 2019 na baixa

No Grande Recife, variação acumulada no preço da carne é de 11,41%

Publicado em 06/12/2019, às 22h31

Confraternização de Natal deste ano será mais cara por conta da alta da carne / Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Confraternização de Natal deste ano será mais cara por conta da alta da carne
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
JC Online

No dia 21 de novembro, quando o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales – numa reunião com os governadores da Região – disse que o Brasil iria cobrar numa conferência da ONU US$ 100 milhões como indenização pelo desmatamento da Amazônia, o mercado de boi gordo operou uma das maiores alta dos últimos cinco anos, com a arroba saindo de R$ 205,94 para R$ 228,53, chegando a R$ 230,02 no dia seguinte.

O crescimento dos preços em apenas dois dias foi o ápice de um movimento surpreendente, uma vez que, em dois anos, o preço da arroba subiu de R$ 147,79, em janeiro de 2018, para R$ 162,94, em outubro último, fazendo com que a carne não tivesse grande interferência no índice de inflação no período.



>> Veja os tipos de carne que mais sofreram aumento no Grande Recife

>> Variação acumulada no preço da carne é de 11,41% no Grande Recife

Há poucas chances de o preço da carne voltar aos índices de outubro, quando iniciou a subida depois que a China autorizou mais empresas brasileiras a exportarem para aquele país. Mas como já se pôde ver ontem no fechamento dos mercados, o Brasil foi para o churrasco do fim de semana com uma arroba de boi já cotada a R$ 195,35, indicando que até o fim de 2019, os preços devem se estabilizar.

Embora não se acredite que voltará aos cômodos R$ 162,94 de outubro. Mas como se disse aqui na Coluna, na edição de terça-feira, a tendência é de baixa. Embora já esteja certo que a confraternização de Natal deste ano será mais cara. Ou terá menos carne de boi na grelha.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM