Jornal do Commercio
Notícia
Infraestrutura

Após 8 anos de espera, Porto do Recife terá obra de dragagem

Com investimento de R$ 51,4 milhões, porto receberá navios maiores

Publicado em 13/01/2020, às 20h32

Porto do Recife aposta em aumento de 20% na movimentação de cargas em 2020 / Foto: Diego Nigro/Acervo JC Imagem
Porto do Recife aposta em aumento de 20% na movimentação de cargas em 2020
Foto: Diego Nigro/Acervo JC Imagem
JC Online

No apagar das luzes de 2019, a diretoria do Porto do Recife comemorou a assinatura de dois termos de compromisso entre o governo de Pernambuco e a União, que vão melhorar as condições operacionais, aumentar a competitividade e colocar o porto de volta na rota de embarcações maiores. No total, o atracadouro vai receber recursos da ordem de R$ 51,4 milhões para executar obras de dragagem e infraestrutura. Sem realizar uma nova dragagem desde 2012, por falta de recursos, o porto vinha perdendo cargas e lutando para manter a operação. A despeito das dificuldades, conseguiu registrar crescimento de 15% na movimentação de cargas em 2019.

O primeiro termo de compromisso foi assinado com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e prevê a execução das obras de dragagem do cais, que vai do berço 00 ao 06 e passará a ter profundidade de 11 metros, e do 07 ao 09 para 8 metros de profundidade. A dragagem está orçada em R$ 24,1 milhões e terá vigência de um ano. Pelo cronograma do Plano de Trabalho, as obras devem começar em abril e serão finalizadas em junho deste ano.

O presidente do Porto do Recife, Carlos Vilar, explica que com a profundidade de 11 metros será possível receber navios com capacidade para transportar 45 mil toneladas, enquanto no cenário atual só é possível atracar embarcações de até 32 mil toneladas. “Com essas limitações acabamos perdendo cargas de cevada, que atendem o polo cervejeiro do Estado para o Porto de Cabedelo, na Paraíba. Mas agora acreditamos que vamos recuperar”, aposta Vilar.

A última dragagem realizada no Porto do Recife aconteceu em 2012 e de lá para cá a Marinha do Brasil vem limitando o tamanho dos navios que podem atracar. “Desde 2015 estamos brigando por uma nova dragagem, mas o tema ficava sempre no âmbito das promessas, por parte do Governo Federal. A assinatura dos Termos de Compromisso nos indica que a obra será, de fato, realizada e só temos motivos para comemorar o ano que passou e criar grandes expectativas para 2020”, comemora o presidente do porto. Ele recorda que durante todo o ano de 2019 foram muitas idas e vindas ao Ministério da Infraestrutura para destravar os projetos.



“O trabalho valeu a pena, viabilizou a assinatura dos termos de compromisso. Agora, aguardamos a liberação de recursos para iniciar as obras, que colocarão o Porto do Recife em um outro patamar de competitividade”, enfatiza o secretário de Desenvolvimento do Estado, Bruno Schwambach.

O segundo termo de compromisso, assinado com o Ministério da Infraestrutura, vai permitir a execução de obras civis para reforma, melhoria e adequação da infraestrutura operacional dos cais do porto. O trabalho vai contemplar o novo sistema de defensas (proteção para que os navios não batam no cais) e cabeços de amarração, recuperação da drenagem, pavimentação e recuperação estrutural dos cais 00 e 01. As obras estão orçadas em R$ 27,3 milhões e terão vigência de um ano. O cronograma do Plano de Trabalho informa que as obras serão iniciadas em maio de 2020 e finalizadas em dezembro deste ano. As licitações das obras serão realizadas pela Porto do Recife S.A., que é a executora dos projetos, e devem acontecer entre fevereiro e abril.

O presidente do Porto do Recife também destaca que o reordenamento dos cais vai permitir resolver o problema do Terminal de Passageiros (TP), que está localizado no cais 7, enquanto os passageiros desembarcam no cais 2 e precisam seguir de ônibus até o terminal. “Com a profundidade maior e as obras de infraestrutura poderemos movimentar barrilha, coque e fertilizante no cais 2 e realizar o desembarque dos passageiros de cruzeiro marítimo mais próximo do TP. Outro projeto nosso é arrendar o terminal para a iniciativa privada e incluir o cais 8 no pacote para que a empresa vencedora possa fazer um empreendimento maior com lojas e restaurantes, por exemplo, para tornar o terminal economicamente viável”, observa Vilar.

PROJEÇÃO

O aumento da operacionalização do Porto do Recife também anima a diretoria a continuar a tendência crescente da movimentação de cargas registrada em 2019. “Nosso projeção para este ano é crescer 20%, apostando no aumento da operação de cargas já existentes e de novas que possam chegar. Existe uma procura por áreas portuárias no Brasil e queremos nos inserir nesse movimento”, defende. Em 2019, o Porto do Recife movimentou 1,4 milhão de toneladas de cargas, com destaque para malte de cevada, fertilizante, barrilha, açúcar e outros.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM