Jornal do Commercio
Notícia
DENÚNCIA

Posto de gasolina no Cabo é multado em R$ 1,5 milhão por fraude pelo Procon

O órgão foi até o estabelecimento após clientes apresentarem denúncias nas redes sociais

Publicado em 14/02/2020, às 09h08

O Procon explica que o estabelecimento tem 10 dias para apresentar defesa e recorrer o valor, e para a liberação da bomba interditada, o proprietário terá que apresentar laudo técnico de regularidade / Foto: Divulgação/Procon Cabo
O Procon explica que o estabelecimento tem 10 dias para apresentar defesa e recorrer o valor, e para a liberação da bomba interditada, o proprietário terá que apresentar laudo técnico de regularidade
Foto: Divulgação/Procon Cabo
Katarina Moraes

O posto de gasolina Cemopel, localizado no centro do Cabo de Santo Agostinho, foi multado em R$ 1,5 milhão pelo Procon da cidade na manhã dessa quinta-feira (13), após o estabelecimento ser denunciado nas redes sociais. Esta foi a maior multa já aplicada a um comércio no município. O dono do posto contesta a autuação e o valor da multa que considera exagerado.

Em um vídeo divulgado através das redes sociais, um motociclista mostrava que o conta-giros da bomba continuava rodando, mesmo sem a saída de combustível. Ao Procon, o gerente do estabelecimento confirmou que o vídeo divulgado era verdadeiro. O proprietário do posto, Celso Morais, contestou a atitude do Procon em autuar o estabelecimento e aplicar a multa de um valor tão elevado. "O que houve na verdade foi um problema mecânico em apenas uma das bombas do posto. Ao tomar conhecimento do defeito, nosso gerente interditou o bico defeituoso e acionou a assistência técnica. Quando o Procon chegou a bomba já estava fora de operação. O mecânico corrigiu o defeito do equipamento e emitiu um laudo técnico que fará parte do nosso processo de defesa", afirmou o empresário.

Segundo o advogado do Procon Cabo, Marcelo Soares, o órgão de defesa do consumidor pode,nestes casos aplicar multas que variam de R$ 1,5 mil até R$ 9 milhões. "O posto é reincidente em infrações, e o valor da multa leva em consideração esse aspecto e os danos em potencial causado à coletividade". Ele conta, ainda, que a bomba irregular foi interditada pelo órgão. O empresário Celso Morais, falando a reportagem do JC, argumentou que o posto de sua propriedade tinha apenas uma outra autuação do Procon relativa a falta de um exemplar do Código de Defesa do Consumidor no estabelecimento, o que é obrigatório por lei.



Segundo o órgão, na manhã dessa quinta, quando os fiscais chegaram ao local, a máquina estava sendo desmontada. “O gerente disse que a bomba estava passando por uma manutenção, pois não sabia que a mesma estava apresentando o problema 'flagrado' no vídeo do consumidor", disse Marcelo Soares, por nota.

Defesa

O Procon explica que o estabelecimento tem 10 dias para apresentar defesa e recorrer o valor, e para a liberação da bomba interditada, o proprietário terá que apresentar laudo técnico de regularidade. Marcelo Soares faz um alerta aos consumidores que se sentirem lesados. “Quem abasteceu na bomba pode procurar o Procon do Cabo ou a Justiça com o comprovante de abastecimento. Iremos verificar os casos”, garantiu.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM