Jornal do Commercio
Copa do Mundo

Em apuros, anfitriã Rússia abre Copa 2018 contra a Arábia Saudita

Sem vencer há oito meses, seleção russa chega em má fase no Mundial

Publicado em 14/06/2018, às 07h39

Pressionado, técnico quer quebrar jejum de sete jogos sem vencer / Alexander NEMENOV / AFP
Pressionado, técnico quer quebrar jejum de sete jogos sem vencer
Alexander NEMENOV / AFP
Diego Toscano
Twitter: @diegotoscanoo

Após quase R$ 40 bilhões de gastos em infraestrutura e em crise dentro de campo, a Rússia abre a Copa do Mundo de 2018 nesta quinta (14), contra a Arábia Saudita, no estádio Lujniki, em Moscou. A seleção russa chega na primeira partida do Grupo A sem vencer há sete jogos e assombrada pela possibilidade de se tornar a segunda anfitriã da história a ser eliminada na fase de grupos, como aconteceu com a África do Sul em 2010.

A última vitória da Rússia foi no dia 7 de outubro, contra o Coreia do Sul. De lá para cá, três empates (Irã, Espanha e Turquia) e quatro derrotas (Argentina, Brasil, França e Áustria). A imprensa russa acusa o técnico Stanislav Cherchesov de falta de autocrítica e de não saber reconhecer os erros da equipe. Ainda assim, Cherchesov continuou positivo na véspera da estreia. Mesmo com o péssimo momento, tentou aliviar a tensão ao transmitir uma mensagem de confiança.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

 

“Compreendo o temor, mas ninguém deveria estar preocupado. Por que vamos vencer amanhã (quinta, 14)? Porque queremos ganhar. Estamos sob provação quando sentamos nessa cadeira e devemos reagir a isso de uma forma natural. Temos que fazer o possível para transformar a crítica em coisas positivas. Tenho a sensação de que no jogo contra a Arábia Saudita tudo irá acontecer como deve. Estamos preparados e prontos para trabalhar. Tivemos muito trabalho desde o amistoso contra a Áustria e alcançamos um certo nível nos últimos jogos”, afirmou.

Abrindo a 21ª edição da Copa do Mundo, a Rússia corre sério risco de igualar o feito negativo da África do Sul: ser eliminado na primeira fase. Na estreia da Copa do Mundo em solo africano, em 2010, a seleção sul-africana acabou na terceira posição do Grupo A, atrás de Uruguai e México e na frente da França. Depois do duelo que abre o Mundial de 2018, a Rússia encara o Egito (19 de junho) e Uruguai (25 de junho).

Outro dado também será posto à prova nesta quinta (14): um anfitrião nunca perdeu a partida de estreia - 15 vitórias e seis empates. Em 2002, Japão e Coreia do Sul sediaram a Copa. Desde que a Copa do Mundo adotou 32 seleções, há 20 anos, são quatro triunfos e duas igualdades dos donos da casa. França (1998), Coreia do Sul (2002), Alemanha (2006) e Brasil venceram na rodada inaugural. Japão (2002) e África do Sul (2010) empataram.

Uma pequena cerimônia de abertura vai ser realizada antes da partida, com a presença do cantor britânico Robbie Williams e do ex-craque brasileiro Ronaldo. O jogo não promete ser dos mais atrativos no Mundial, já que Rússia e Arábia Saudita são as duas seleções da competição com pior classificação no ranking da Fifa, na 70ª e 67ª colocações, respectivamente.



O técnico Juan Antonio Pizzi, da Arábia Saudita, declarou que sua equipe vai para o jogo querendo estragar a festa russa. “Meu estilo é ser competitivo. Quero brigar por cada bola, aproveitar cada ocasião e jogar para ganhar”, declarou o ex-comandante da seleção chilena.

O primeiro jogo da Copa também será marcado pela estreia do árbitro assistente de vídeo (VAR) em Mundiais. O árbitro argentino Néstor Pitana vai ser o responsável pela partida, com o brasileiro Sandro Meira Ricci, que foi árbitro da Federação Pernambucana de Futebol (FPF) entre 2012 e 2014, sendo um dos responsáveis pelo VAR.

FICHA DE JOGO

RÚSSIA
Akinfeev; Neustädter, Granat e Kudryashov; Semenov, Golovin, Dzagoev, Zhirkov e Mário Fernandes; Miranchuk e Smolov. Técnico: Stanislav Cherchesov. Esquema: 3-5-2.

ARÁBIA SAUDITA
Abdullah Al-Mayuf; Yasser Al-Shahrani, Osama Hawsawi, Omar Hawsawi e Mansoor Al-Harbi; Abdullah Otayf, Salman Al-Faraj, Taiseer Al-Jassim, Yahya Al-Shehri e Nawaf Al Abed; Mohammad Al-Sahlawi. Técnico: Juan Antonio Pizzi. Esquema: 4-5-1.

Local: Estádio Lujniki, em Moscou. Horário: 12h (de Brasília). Árbitro: Néstor Pitana (ARG). Auxiliares: Juan Pablo Belatti e Hernan Maidana (ambos da ARG).


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM